an online Instagram web viewer
  • annaflaviaschmitt
    Anna Flávia Schmitt
    @annaflaviaschmitt

Images by annaflaviaschmitt

A lembrança chegou
com a chuvarada,
Abraçada ao oceano,
com a maré mexida, 
com a areia molhada,
e com a alma lavada.

A tempestade bradou,
com os raios de metais,
Resoluta e decidida,
que não volta atrás,
que não pensa em você,
e que não te quer mais.

A lembrança surgiu
com os mil perfumes,
Acobertada pelas nuvens,
com o mistério da fé,
com um grande plano,
e derrubando totens.

A liberdade poética
com as suas asas,
Certa das tuas cismas,
que ignora detalhes,
que determina caminhos
e que aceita as tuas sinas.

A temperança não me deixa
com os seus perfumes,
Ainda destes versos morrerás
com todos os ciúmes,
Sentindo os lamentos,
Com o teu peito em mil rebentos.

Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/a-lembranca.html
A lembrança chegou com a chuvarada, Abraçada ao oceano, com a maré mexida, com a areia molhada, e com a alma lavada. A tempestade bradou, com os raios de metais, Resoluta e decidida, que não volta atrás, que não pensa em você, e que não te quer mais. A lembrança surgiu com os mil perfumes, Acobertada pelas nuvens, com o mistério da fé, com um grande plano, e derrubando totens. A liberdade poética com as suas asas, Certa das tuas cismas, que ignora detalhes, que determina caminhos e que aceita as tuas sinas. A temperança não me deixa com os seus perfumes, Ainda destes versos morrerás com todos os ciúmes, Sentindo os lamentos, Com o teu peito em mil rebentos. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/a-lembranca.html
Para romper 
fronteiras 
valentes:
se fazem 
necessários 
e precisos
inevitáveis 
beijos 
quentes...,
Fecha 
a porta 
delicadamente,
são com 
as quatro 
paredes 
é que 
fazemos 
o paraíso...,
Se não estás 
preparado:
- É melhor 
que não me leia!...
Para possuir 
veredas tranquilas:
se fazem 
necessários 
mistérios,
e imprescindíveis 
corpos ferventes;
Ama o amor imensamente,
são com todos estes beijos
que aumentamos os desejos,
Se não podes assumir:
- É melhor que só me leia!...
Porque me lendo aumentarás:
a sua loucura por mim,
o seu desejo e a paixão;
Certamente, amarás a mim
mais do que se pode imaginar,
Amando-me ao ponto de me ter,
Tendo a segurança que jamais
- Irei de esquecer
Por causa deste amor não irás
jamais por outra se interessar,
O amor aconteceu sem a gente 
imensamente perceber!... Disponível em:
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/fronteiras.html
Para romper fronteiras valentes: se fazem necessários e precisos inevitáveis beijos quentes..., Fecha a porta delicadamente, são com as quatro paredes é que fazemos o paraíso..., Se não estás preparado: - É melhor que não me leia!... Para possuir veredas tranquilas: se fazem necessários mistérios, e imprescindíveis corpos ferventes; Ama o amor imensamente, são com todos estes beijos que aumentamos os desejos, Se não podes assumir: - É melhor que só me leia!... Porque me lendo aumentarás: a sua loucura por mim, o seu desejo e a paixão; Certamente, amarás a mim mais do que se pode imaginar, Amando-me ao ponto de me ter, Tendo a segurança que jamais - Irei de esquecer Por causa deste amor não irás jamais por outra se interessar, O amor aconteceu sem a gente imensamente perceber!... Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/fronteiras.html
O meu coração 
está triste faz 
algum tempo, 
A repressão 
já ultrapassou
além do limite,
Porque em si
já era para ser 
taxada de crime,
De tão engenhosa 
que é: estamos
viciados nela.

Não sei 
dos generais,
Da tropa não 
falam mais,
Há flores 
no calabouço.

O beltrano 
e seu calote 
premeditado 
em Pindorama, 
Da paz escutei
que houve
fracasso.

Ao mundo ele 
não mais engana.

Libertad a @rodrigueztddt! 
Foto do card: Victoria Heath
O meu coração está triste faz algum tempo, A repressão já ultrapassou além do limite, Porque em si já era para ser taxada de crime, De tão engenhosa que é: estamos viciados nela. Não sei dos generais, Da tropa não falam mais, Há flores no calabouço. O beltrano e seu calote premeditado em Pindorama, Da paz escutei que houve fracasso. Ao mundo ele não mais engana. Libertad a @rodrigueztddt! Foto do card: Victoria Heath
Bendigo 
os momentos 
de imensidade
perdidos nas 
vielas da 
intensidade,
entretidos nos 
mais tórridos 
momentos
varridos 
por nossos 
afastamentos;
Embora, o tempo 
é incapaz de afastar
o amor fixado 
como flecha no peito,
Demasiado é 
o amor que 
não tem jeito
vivendo no 
estreito [silêncio...,
Amor demais 
é assim mesmo:
- Não existe 
amor perfeito
Bendito é o meu direito de te amar!...
Nos meus versos de tanta adoração,
Vou aquietando a alma em chamas
Nos passos dados pelo [coração].
Nas minhas doces e gentis canções
Vou flutuando em glorificação
Nas intensas formas das emoções.
Nos meus pensamentos de amor
Vou escrevendo a memória
Os meus poemas virarão história.
Virando a página, seguindo em frente
 abrindo o caminho para a felicidade:
- Abri as asas da liberdade em voo solo
rimando por toda a [eternidade],
Tenho flores nos braços, companhias boas
dos poetas e os meus versos de saudades.

Disponível em:
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/benditto.html
Bendigo os momentos de imensidade perdidos nas vielas da intensidade, entretidos nos mais tórridos momentos varridos por nossos afastamentos; Embora, o tempo é incapaz de afastar o amor fixado como flecha no peito, Demasiado é o amor que não tem jeito vivendo no estreito [silêncio..., Amor demais é assim mesmo: - Não existe amor perfeito Bendito é o meu direito de te amar!... Nos meus versos de tanta adoração, Vou aquietando a alma em chamas Nos passos dados pelo [coração]. Nas minhas doces e gentis canções Vou flutuando em glorificação Nas intensas formas das emoções. Nos meus pensamentos de amor Vou escrevendo a memória Os meus poemas virarão história. Virando a página, seguindo em frente abrindo o caminho para a felicidade: - Abri as asas da liberdade em voo solo rimando por toda a [eternidade], Tenho flores nos braços, companhias boas dos poetas e os meus versos de saudades. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/benditto.html
Tem a poesia própria 
A exaustão do povo 
Buscando uma solução.

Sem resposta insisto,
Continuo escrevendo 
Para saber de você.

Tem a poesia própria 
O mau líder que os alucina,
Estabelecida  a tal covardia. 
Sem notícias persisto,
Continuo escrevendo 
Para saber aonde está você.

Tem a poesia retrógrada,
A eleição imposta,
Para mandar o sonho embora.

Quero saber 
Se você está inteiro e vivo,
Pois já é passada a hora... Libertad a @rodrigueztddt!
Tem a poesia própria A exaustão do povo Buscando uma solução. Sem resposta insisto, Continuo escrevendo Para saber de você. Tem a poesia própria O mau líder que os alucina, Estabelecida a tal covardia. Sem notícias persisto, Continuo escrevendo Para saber aonde está você. Tem a poesia retrógrada, A eleição imposta, Para mandar o sonho embora. Quero saber Se você está inteiro e vivo, Pois já é passada a hora... Libertad a @rodrigueztddt!
Olhaste para trás 
e percebeste que eu
fui a primavera 
em tua vida,
Lembraste que 
nunca deixei-te,
mas sempre 
fui a favorita;
Olhaste para 
frente sem me ver,
as tuas mãos 
nada podem,
 e sequer um 
pouco tocar-me.
Relembraste 
que és verão,
e sentiu vontade 
de resgatar-me:
a primavera 
que não passa
Reclamaste 
no peito o amor
que nunca 
mais recebeste,
Relembraste 
que sou flor
digna de poesia, 
canção e louvor;
e ainda sente falta 
de embalar-me.
Estende os braços nas Alturas,
- sem a minha presença -
Mil inquietações viram loucuras,
- sem a minha foz -
A tua boca reclama as securas,
os teus lábios criam rachaduras,
Permaneço forte dentro de ti,
os meus ledos são teus segredos,
Sou o tempo rugindo no peito,
o amor vadio e imperfeito,
A primavera com todas as cores
trazendo novos tons ao outono,
O triunfo de um amor inteiro. 
Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/outono.html
Olhaste para trás e percebeste que eu fui a primavera em tua vida, Lembraste que nunca deixei-te, mas sempre fui a favorita; Olhaste para frente sem me ver, as tuas mãos nada podem, e sequer um pouco tocar-me. Relembraste que és verão, e sentiu vontade de resgatar-me: a primavera que não passa Reclamaste no peito o amor que nunca mais recebeste, Relembraste que sou flor digna de poesia, canção e louvor; e ainda sente falta de embalar-me. Estende os braços nas Alturas, - sem a minha presença - Mil inquietações viram loucuras, - sem a minha foz - A tua boca reclama as securas, os teus lábios criam rachaduras, Permaneço forte dentro de ti, os meus ledos são teus segredos, Sou o tempo rugindo no peito, o amor vadio e imperfeito, A primavera com todas as cores trazendo novos tons ao outono, O triunfo de um amor inteiro. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/outono.html
Quem sabe 
o caminho 
das pedras,
não cede
ao peso 
das intrigas.

Não se cala,
sai em busca
Não entrega
a alma muda.

Quem sabe 
a hora e o 
quê falar,
é que deve 
bem nessa 
roda entrar.

Não dá jamais
motivo algum
ao diver(gente)
manter-se fervente.

Ainda mais se
ele tiver nas mãos 
as vidas de pessoas
como a gente. 
Porque precisamos 
palavras de maciez
e de esperança,
para no futuro 
não perdermos 
a confiança.

Libertad a @rodrigueztddt! 
Foto do card: Roger Erdvig
Quem sabe o caminho das pedras, não cede ao peso das intrigas. Não se cala, sai em busca Não entrega a alma muda. Quem sabe a hora e o quê falar, é que deve bem nessa roda entrar. Não dá jamais motivo algum ao diver(gente) manter-se fervente. Ainda mais se ele tiver nas mãos as vidas de pessoas como a gente. Porque precisamos palavras de maciez e de esperança, para no futuro não perdermos a confiança. Libertad a @rodrigueztddt! Foto do card: Roger Erdvig
Feito ave rara 
a me procurar
no final deste 
verão percebi:
o quão próximo 
está o final
dessa nossa 
íntima espera. 
Tenho tanto 
a te confessar 
no início deste 
lindo outono:
que nunca 
deixei de pensar
no futuro 
do nosso encontro.
Ledos toques 
e cetins enredos
no bater 
dos sutis peitos...,
Não há 
nenhum (engano) 
desta preferência e plano. 
Viris sinais e doces enleios
na crença que me faz bela,
Na espera que me faz tua,
no estímulo que me inspira.
Porque você tem (nome),
para mim és o meu enigma;
Dotado de especial talento
e da inesquecível promessa
De ouvir até o teu silêncio.
Sou a polaridade que mexe
contigo e te 'emociona'...,
És a imensidade que desconcerta;
Tu és alma livre que me cativa
fazendo de mim coração em prece. 
Sou o poema a ser lido por ti
bem no remanso da noite, corra...
Não me perca nenhum segundo,
te apresse e me 'desconcerte'. Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/enigma.html
Feito ave rara a me procurar no final deste verão percebi: o quão próximo está o final dessa nossa íntima espera. Tenho tanto a te confessar no início deste lindo outono: que nunca deixei de pensar no futuro do nosso encontro. Ledos toques e cetins enredos no bater dos sutis peitos..., Não há nenhum (engano) desta preferência e plano. Viris sinais e doces enleios na crença que me faz bela, Na espera que me faz tua, no estímulo que me inspira. Porque você tem (nome), para mim és o meu enigma; Dotado de especial talento e da inesquecível promessa De ouvir até o teu silêncio. Sou a polaridade que mexe contigo e te 'emociona'..., És a imensidade que desconcerta; Tu és alma livre que me cativa fazendo de mim coração em prece. Sou o poema a ser lido por ti bem no remanso da noite, corra... Não me perca nenhum segundo, te apresse e me 'desconcerte'. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/enigma.html
Se cada poeta 
deste mundo 
doasse atenção 
ao menos para 
um preso de 
consciência,
teríamos
um mundo 
com mais 
clemência.
A glória 
da Batalha
de Canchas 
Blancas
concede 
a resiliência,
A ironia 
descabida 
do opressor 
não a cala,
ela nasceu
derrotada.
Dá para 
ouvir que 
ainda 
ressoam os 
estilhaços 
da Noite 
dos Cristais,
bem aqui 
deste lugar 
de quem 
não se 
tolera mais.
Voa o condor 
nas linhas 
do destino
em busca 
da libertação 
do General 
vítima total 
de conspiração,
como andarilha
caminha 
pelo mundo 
a indignação.

Libertad a @rodrigueztddt! 
Foto: Joel Pilger
Se cada poeta deste mundo doasse atenção ao menos para um preso de consciência, teríamos um mundo com mais clemência. A glória da Batalha de Canchas Blancas concede a resiliência, A ironia descabida do opressor não a cala, ela nasceu derrotada. Dá para ouvir que ainda ressoam os estilhaços da Noite dos Cristais, bem aqui deste lugar de quem não se tolera mais. Voa o condor nas linhas do destino em busca da libertação do General vítima total de conspiração, como andarilha caminha pelo mundo a indignação. Libertad a @rodrigueztddt! Foto: Joel Pilger
Nada neste
mundo tirará
o meu direito 
de ser poeta,
Nenhum 
infortúnio 
roubará
o teu direito 
de ver inteira:
- A poesia 
inabalável.
Nada neste 
lugar julgará
o nosso direito 
e leveza de ser
- unidos -
Pela poesia [inabalável;
Porque nada 
nos desamparará
do nosso 
dever romântico,
Que mesmo 
sem escrever
a inspiração 
não deixa abandonar,
O amor 
valente 
e [imensurável].
Os nossos olhares 
não se perderão,
Os dois estão presos 
pelo coração.
As nossas bocas 
sempre irão arder:
Os beijos jamais 
irão [esquecer].
Os nossos corpos 
não se desgrudarão,
Os dois jamais apagarão.
Os carinhos que 
ninguém há de negar,
As vontades jamais 
hão de [passar].
No fundo, sei que 
não se sente seguro,
porque confiava 
estando ao meu lado
Um protegia 
o outro do desdouro:
de todos, de tudo e do mundo.
No profundo de ti não sossegas,
sente muito a minha falta...,
Porque não sente sequer o teu sonho
velado com amor e toda a calma,
Sei também que estás sofrido,
carente, desprotegido e sem afago.
- Não te enganes mais! -
Sou o teu doido amor,
A chaga aberta e em chamas:
- Não cicatrizarei jamais!-
Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/nada.html
Nada neste mundo tirará o meu direito de ser poeta, Nenhum infortúnio roubará o teu direito de ver inteira: - A poesia inabalável. Nada neste lugar julgará o nosso direito e leveza de ser - unidos - Pela poesia [inabalável; Porque nada nos desamparará do nosso dever romântico, Que mesmo sem escrever a inspiração não deixa abandonar, O amor valente e [imensurável]. Os nossos olhares não se perderão, Os dois estão presos pelo coração. As nossas bocas sempre irão arder: Os beijos jamais irão [esquecer]. Os nossos corpos não se desgrudarão, Os dois jamais apagarão. Os carinhos que ninguém há de negar, As vontades jamais hão de [passar]. No fundo, sei que não se sente seguro, porque confiava estando ao meu lado Um protegia o outro do desdouro: de todos, de tudo e do mundo. No profundo de ti não sossegas, sente muito a minha falta..., Porque não sente sequer o teu sonho velado com amor e toda a calma, Sei também que estás sofrido, carente, desprotegido e sem afago. - Não te enganes mais! - Sou o teu doido amor, A chaga aberta e em chamas: - Não cicatrizarei jamais!- Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/nada.html
E sem esforço começo 
A saber que mudar 
De opinião é um total
E íntegro direito teu,
Entender é dever meu.

A  reconciliação é 
A única fórmula 
De reconhecimento, 
Ela é a retomada,
O acerto do passo
No caminho certo 
E a busca por  aquilo 
que dizem que não é.

Em silêncio o coração 
Diz que terá sucesso,
Pois quem diz o 
Contrário é porque 
Tem compromisso 
Com o passado. 
Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
E sem esforço começo A saber que mudar De opinião é um total E íntegro direito teu, Entender é dever meu. A reconciliação é A única fórmula De reconhecimento, Ela é a retomada, O acerto do passo No caminho certo E a busca por aquilo que dizem que não é. Em silêncio o coração Diz que terá sucesso, Pois quem diz o Contrário é porque Tem compromisso Com o passado. Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
Indomável é 
o mar de resistência,
Verdadeiro reencontro 
da alma,
Incrível é a luz
da [lembrança]...,
Relembro, respiro 
e me emociono;
Exilo o teu nome 
dos meus versos,
Assim assumo 
que sinto a tua falta.
Memorável é a 
nossa história,
Sublime convivência em paz,
Perpétua é a 
minha [presença]...,
Relembra, respira 
e se emociona; 
Sente a minha 
ausência poética,
Assim convive com a tua dialética.
Amando-me intensamente calado,
Sofrendo todas as dores do [mundo,
Sou a flor que falta no teu canteiro,
Doendo lateja o teu [corpo,
Respirando a minha poesia,
Preenchendo o vazio das tuas horas,
Procurando-me até em desculpas
Só para eu não caber dentro do teu peito. 
Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/resistencia.html
Indomável é o mar de resistência, Verdadeiro reencontro da alma, Incrível é a luz da [lembrança]..., Relembro, respiro e me emociono; Exilo o teu nome dos meus versos, Assim assumo que sinto a tua falta. Memorável é a nossa história, Sublime convivência em paz, Perpétua é a minha [presença]..., Relembra, respira e se emociona; Sente a minha ausência poética, Assim convive com a tua dialética. Amando-me intensamente calado, Sofrendo todas as dores do [mundo, Sou a flor que falta no teu canteiro, Doendo lateja o teu [corpo, Respirando a minha poesia, Preenchendo o vazio das tuas horas, Procurando-me até em desculpas Só para eu não caber dentro do teu peito. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/resistencia.html
Mudar ou manter 
as suas idéias são 
direitos teus, 
A  reconciliação
é a única fórmula 
de reconhecimento, 
Ela é a retomada,
o acerto do passo
no caminho certo 
e a busca por  aquilo 
que dizem que não,
mas o coração diz
que terá sucesso,
Pois quem diz
o contrário 
é porque  tem 
compromiso com
o passado.

Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
Mudar ou manter as suas idéias são direitos teus, A reconciliação é a única fórmula de reconhecimento, Ela é a retomada, o acerto do passo no caminho certo e a busca por aquilo que dizem que não, mas o coração diz que terá sucesso, Pois quem diz o contrário é porque tem compromiso com o passado. Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
Eu tenho 
explicação 
para tudo,
E também 
o maior 
amor 
do mundo.
O teu 
sorriso 
esboçado 
denuncia,
Que mora 
em mim 
a tua 
alegria.
Eu tenho 
a solução 
para tudo,
Vestida 
de letras 
e de poemas.
O teu abraço 
me procura,
Falta na tua 
vida a minha ternura.
Eu sou a tua vida, 
o teu mundo,
A fera dentre 
as feras: a mais bela.
O teu traço 
sempre relembra,
Faz de mim 
eterna: a tua prenda.
Eu sou o tempo 
que não passou,
Talvez a mulher 
que você mais amou.
O tempo evidencia a insatisfação
Por não ter-me ao teu lado,
Passaram-se os anos e o fogo da paixão
Só aumenta de forma incontestável;
Porque me desejas eternamente perto
Com o meu corpo ao teu colado.
Disponível em: 
https://versosintimistas.blogspot.com/2013/07/ao-teu-lado.html
Eu tenho explicação para tudo, E também o maior amor do mundo. O teu sorriso esboçado denuncia, Que mora em mim a tua alegria. Eu tenho a solução para tudo, Vestida de letras e de poemas. O teu abraço me procura, Falta na tua vida a minha ternura. Eu sou a tua vida, o teu mundo, A fera dentre as feras: a mais bela. O teu traço sempre relembra, Faz de mim eterna: a tua prenda. Eu sou o tempo que não passou, Talvez a mulher que você mais amou. O tempo evidencia a insatisfação Por não ter-me ao teu lado, Passaram-se os anos e o fogo da paixão Só aumenta de forma incontestável; Porque me desejas eternamente perto Com o meu corpo ao teu colado. Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2013/07/ao-teu-lado.html
Os meus  poemas perturbam 
de maneira original: 
as cenas  passam,
os poemas ficam, 
por terem entrada direta, 
e sem pedir licença 
à mente e ao coração
de quem quer que seja. 
A manifestação é o verbo
da exaustão pertencente 
a população que não
deixa de ter a sua poesia, 
os  poemas registram 
no tempo o mau líder,
e toda a sua covardia.

O poema como indignação 
sempre será consultado,
por ser ação imperecível,
há mais de um que se 
encontra na prisão recolhido,
sem contato com o mundo,
sem direito a defesa,
e talvez sendo torturado.

Assim, sigo escrevendo 
mesmo sem ser presença 
física, mas assumindo
ser permanente
para deixar o absurdo
a cada dia mais espalhado.

Eu quero saber se você 
está inteiro e vivo! 
Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
Os meus poemas perturbam de maneira original: as cenas passam, os poemas ficam, por terem entrada direta, e sem pedir licença à mente e ao coração de quem quer que seja. A manifestação é o verbo da exaustão pertencente a população que não deixa de ter a sua poesia, os poemas registram no tempo o mau líder, e toda a sua covardia. O poema como indignação sempre será consultado, por ser ação imperecível, há mais de um que se encontra na prisão recolhido, sem contato com o mundo, sem direito a defesa, e talvez sendo torturado. Assim, sigo escrevendo mesmo sem ser presença física, mas assumindo ser permanente para deixar o absurdo a cada dia mais espalhado. Eu quero saber se você está inteiro e vivo! Libertad a @rodrigueztddt! Hoy completa 8 meses de injusta prision!
A minha 
presença 
é permanente
na tua 
lembrança 
e na retina,
A alma 
jamais
irá se 
aquietar
na tua 
memória 
e na rotina...;
A minha 
pertença 
é iminente
na tua vida 
e na história,
A inspiração 
que vem 
de mim
na tua 
caminhada 
é perpétua,
A verdade 
é que tua 
alma ama
a minha: 
sofrendo, 
muda e quieta.
A rima que 
nasce 
e cresce 
da ginga
amada, 
sentida, 
adorada 
e 'revivida',
É poesia 
que nasce 
de um amor
deixado
para trás 
e dos dias 
de Sol,
Que para 
você não 
estou redimida. 
A ginga que
dança e sacode-me
apaixonada 
e fervente: virou poesia
É beijo que toca
as constelações
comovendo 
todas as emoções,
Que não me deixam esquecida.
A minha poesia mora em você
relembrada em cada gota de prazer,
É sede que jamais irá [acabar];
promessa que não te deixa esquecer:
- Que sou o amor da tua vida!... Disponível em:
https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/presenca-permanente.html
A minha presença é permanente na tua lembrança e na retina, A alma jamais irá se aquietar na tua memória e na rotina...; A minha pertença é iminente na tua vida e na história, A inspiração que vem de mim na tua caminhada é perpétua, A verdade é que tua alma ama a minha: sofrendo, muda e quieta. A rima que nasce e cresce da ginga amada, sentida, adorada e 'revivida', É poesia que nasce de um amor deixado para trás e dos dias de Sol, Que para você não estou redimida. A ginga que dança e sacode-me apaixonada e fervente: virou poesia É beijo que toca as constelações comovendo todas as emoções, Que não me deixam esquecida. A minha poesia mora em você relembrada em cada gota de prazer, É sede que jamais irá [acabar]; promessa que não te deixa esquecer: - Que sou o amor da tua vida!... Disponível em: https://versosintimistas.blogspot.com/2014/03/presenca-permanente.html
Isso é 
péssimo,
um verdadeiro 
tormento,
prisão 
sem notícias 
ou qualquer tipo 
de satisfação 
a meu ver não 
passa de sequestro,
um real e sinistro
desaparecimento. 
Escribi cuando dejaran todos sin noticias de Miguel. Ahora el clamor es por la salud y libertad a @rodrigueztddt !
Isso é péssimo, um verdadeiro tormento, prisão sem notícias ou qualquer tipo de satisfação a meu ver não passa de sequestro, um real e sinistro desaparecimento. Escribi cuando dejaran todos sin noticias de Miguel. Ahora el clamor es por la salud y libertad a @rodrigueztddt !