an online Instagram web viewer

#naturalbodybuilding medias

Photos

@rhettro84 one week out from the WFF Universe in Singapore.

Carb depleted and flat, I look forward to seeing him fill out and up on stage again next week, bigger and better than ever.

All the best Rhett, you skinny c*nt.

#aaroncurtis #ironcurtis #twoguysonesnap #toobig #imskinny #imskny #nolegs #soskinnyithurts #masstheticarmy #massthetics #naturalbodybuilding #bodybuilding #natty4lyf #personaltraining #onlinetraining #onlinept #nutrition #zujinutrition #strongliftwear #slw #suppsrus #teamorange
@rhettro84 one week out from the WFF Universe in Singapore. Carb depleted and flat, I look forward to seeing him fill out and up on stage again next week, bigger and better than ever. All the best Rhett, you skinny c*nt. #aaroncurtis  #ironcurtis  #twoguysonesnap  #toobig  #imskinny  #imskny  #nolegs  #soskinnyithurts  #masstheticarmy  #massthetics  #naturalbodybuilding  #bodybuilding  #natty4lyf  #personaltraining  #onlinetraining  #onlinept  #nutrition  #zujinutrition  #strongliftwear  #slw  #suppsrus  #teamorange 
아마 모르는 사람이 보면 쟤는 노출증이 있구나 할꺼야

인천에서 가장 쾌적한 짐
#네츄럴보디빌딩 #naturalbodybuilding #natty #workout  #fitness #bodybuilding #physique #보디빌딩 #다이어트 #gx #gdr #골프 #구월동 #문학동 #선학동
#더힐스토리 #문학경기장 #찜질방 #사우나
Day 5 / 30 of my summer cut and so far I'm down 5 pounds! Of which half is water weight due to me going from an average of 3k - 1.5k calories, upping my potassium levels and significantly lower my sodium. So far so good! I added a short video clip (of me being weird lol) and today's Push Workout to this post. The grind doesn't stop, you do! Keep at it. I'll be posting my progress everyday. Feel free to join me! ✌ #veganmotivation #veganweightlossjourney #veganweightloss #veganbodybuilding #veganathlete #veganhealth #naturalbodybuilding #healthy30s
Day 5 / 30 of my summer cut and so far I'm down 5 pounds! Of which half is water weight due to me going from an average of 3k - 1.5k calories, upping my potassium levels and significantly lower my sodium. So far so good! I added a short video clip (of me being weird lol) and today's Push Workout to this post. The grind doesn't stop, you do! Keep at it. I'll be posting my progress everyday. Feel free to join me! ✌ #veganmotivation  #veganweightlossjourney  #veganweightloss  #veganbodybuilding  #veganathlete  #veganhealth  #naturalbodybuilding  #healthy30s 
#Repost @emma_bowman_fitbusybody (@get_repost)
・・・
Some stage pics! 💙 This is certainly my biggest career highlight... winning the pro world title in fitness model at the Southern Universe World Championships @icompetenatural has been a goal I had set myself since just missing out last year. Fitness model division is where my heart is, it is where my body comfortably sits...I love the challenge of showing each and every hard earned muscle worked and grown through complete dedication to my sport, day in and day out. I love this sport, I love the people I meet through it and the avenues in which I have been blessed to grow and opportunities given as a result. 💙💙💙 whats next? 😏
.
Huge shout out to my amazing family back home as without your support with looking after our 3 babies back home, I would not be here!💙
To the most patient and strongest man in my life my husband Ryan... you are an incredible human. I love you, thank you for helping my pursue my dreams!💙
Tara, to have you as a friend and also a sponsor who believed in me from the beginning of all this, thank you @bronzedbyvictoriabelle 💙
Thank you also to @bulkpowdersau @purabon @nextflexfood for your continued support fuelling me with good, nutritional dense foods and supplements💙
#icn #icompetenatural #bodybuilding #bodybuilder #naturalbodybuilding #naturalcompetitor #worldchampion #winner #fitnessmodel #proathlete #bodygoals #proathlete #passion #dedication #determination #discipline #passion #icompeteaustralia #icnkorea #icnpakistan #fitfam #fitness #gains #muscle #fitmum #mumof3 #fitbusybody
#Repost  @emma_bowman_fitbusybody (@get_repost) ・・・ Some stage pics! 💙 This is certainly my biggest career highlight... winning the pro world title in fitness model at the Southern Universe World Championships @icompetenatural has been a goal I had set myself since just missing out last year. Fitness model division is where my heart is, it is where my body comfortably sits...I love the challenge of showing each and every hard earned muscle worked and grown through complete dedication to my sport, day in and day out. I love this sport, I love the people I meet through it and the avenues in which I have been blessed to grow and opportunities given as a result. 💙💙💙 whats next? 😏 . Huge shout out to my amazing family back home as without your support with looking after our 3 babies back home, I would not be here!💙 To the most patient and strongest man in my life my husband Ryan... you are an incredible human. I love you, thank you for helping my pursue my dreams!💙 Tara, to have you as a friend and also a sponsor who believed in me from the beginning of all this, thank you @bronzedbyvictoriabelle 💙 Thank you also to @bulkpowdersau @purabon @nextflexfood for your continued support fuelling me with good, nutritional dense foods and supplements💙 #icn  #icompetenatural  #bodybuilding  #bodybuilder  #naturalbodybuilding  #naturalcompetitor  #worldchampion  #winner  #fitnessmodel  #proathlete  #bodygoals  #proathlete  #passion  #dedication  #determination  #discipline  #passion  #icompeteaustralia  #icnkorea  #icnpakistan  #fitfam  #fitness  #gains  #muscle  #fitmum  #mumof3  #fitbusybody 
Maybe one day I’ll get serious with this stuff and compete 😧😂😂 probably not but here’s some joking around with posing after some gains. Always gotta have fun at the gym while still putting in work. #StriveForGreatness
Maybe one day I’ll get serious with this stuff and compete 😧😂😂 probably not but here’s some joking around with posing after some gains. Always gotta have fun at the gym while still putting in work. #StriveForGreatness 
Steve Nash knows I wanna reach my goals!!!!
Every BODY's Fit 7602016784 www.everybodysfitoceanside.com 
#everybodysfit #mastertrainer #AAU #ICN #IDEA #AFAA #MensHealth #WomensHealth #NASM #coach #PersonalTrainer #trainer #groupexercise #naturalbodybuilding #nobodyshame #wellnesscoach #health #FITlife #FITMeals #pug #puglife #SteveNash #groupexercise
Tuna & Rice, my number 1 go to midday meal ....never gets old...
Easily Repeatable, sustainable, satisfying, enjoyable and nutritious.✅
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••
#riseandgrind #beastmode #fitspo #bodybuilding #nutrition  #naturalbodybuilding  #naturalstrengthtraining #instagramfitness #muscle #Motivation #instafit #InstagramBodybuilding #inspiration  #fitness  #gym #workout #fitfood #GymLife  #fit  #nodaysoff #gains #musclefood #Aesthetics #fitfam #personaltrainer #eatclean #gymtime
Tuna & Rice, my number 1 go to midday meal ....never gets old... Easily Repeatable, sustainable, satisfying, enjoyable and nutritious.✅ ••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• #riseandgrind  #beastmode  #fitspo  #bodybuilding  #nutrition  #naturalbodybuilding  #naturalstrengthtraining  #instagramfitness  #muscle  #Motivation  #instafit  #InstagramBodybuilding  #inspiration  #fitness  #gym  #workout  #fitfood  #GymLife  #fit  #nodaysoff  #gains  #musclefood  #Aesthetics  #fitfam  #personaltrainer  #eatclean  #gymtime 
Follow @musclesmindsets 💪 😍

@musclesmindsets
@musclesmindsets
@musclesmindsets
Follow @musclesmindsets 💪 😍 @musclesmindsets @musclesmindsets @musclesmindsets
Follow @musclelovershop 💪 😍

@musclelovershop
@musclelovershop
@musclelovershop
Follow @musclelovershop 💪 😍 @musclelovershop @musclelovershop @musclelovershop
🔷NUTRITION TIP🔷
.
. ➡Nothing can slow or even halt fat loss quicker than poor nutrition
. .
➡Here is a simple pyramid demonstrating the hierarchy of fat loss. This descriptor was developed by one of the most knowledgeable and successful natural bodybuilders of his era Tom Venuto. .
.
➡Apply the steps from the bottom to the top and start developing a proper fat loss approach for lasting results. .
.
⚠Like a strong foundation on your house, a strong fat loss foundation starts with a diet approach that keeps you in a slight deficit from your maintenance amount of calories
⚠Next, ensure you're eating the proper amount of protein to preserve lean mass (1 to 1.5g / lb of body weight is a good starting point)
⚠Once protein intake is on point, make sure you're getting the proper amount of carbs and fats in the proper ratios that adhere to your calorie deficit
⚠Only after you've taken the other steps into account would you then start to worry about nutrient density and nutrient timing.
⚠⚠⚠Keep your approach as simple as possible while still pushing towards your end goal. If you over complicate your diet or try some latest nutrition fad, ultimately you will become discouraged with the lack of lasting results⚠⚠⚠
.
.
🔷If you just don't know where to start🤔 come down to #truenorthfitness and one of our knowledgeable trainers will be able to get you pointed in the right direction🔷
.
.
Have a great weekend everyone and keep striving to be the best version of you possible!🖒
🔷NUTRITION TIP🔷 . . ➡Nothing can slow or even halt fat loss quicker than poor nutrition . . ➡Here is a simple pyramid demonstrating the hierarchy of fat loss. This descriptor was developed by one of the most knowledgeable and successful natural bodybuilders of his era Tom Venuto. . . ➡Apply the steps from the bottom to the top and start developing a proper fat loss approach for lasting results. . . ⚠Like a strong foundation on your house, a strong fat loss foundation starts with a diet approach that keeps you in a slight deficit from your maintenance amount of calories ⚠Next, ensure you're eating the proper amount of protein to preserve lean mass (1 to 1.5g / lb of body weight is a good starting point) ⚠Once protein intake is on point, make sure you're getting the proper amount of carbs and fats in the proper ratios that adhere to your calorie deficit ⚠Only after you've taken the other steps into account would you then start to worry about nutrient density and nutrient timing. ⚠⚠⚠Keep your approach as simple as possible while still pushing towards your end goal. If you over complicate your diet or try some latest nutrition fad, ultimately you will become discouraged with the lack of lasting results⚠⚠⚠ . . 🔷If you just don't know where to start🤔 come down to #truenorthfitness  and one of our knowledgeable trainers will be able to get you pointed in the right direction🔷 . . Have a great weekend everyone and keep striving to be the best version of you possible!🖒
Sábado foi como?? Treino com o parça @pretohenrique de peito,delts e triceps, valeu pelo treino irmão, treino foi zika demais, tmj 👊🏼
Leg day teve, depois de muito tempo sem treinar perna, amanhã estarei de cadeira de rodas, boa noite é bom final de semana galerinha 💪🏽💀—————————————
•👨‍⚕️Nutri: @luizrochanutri •
—————————————
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. . #ff #teamff #fitnessmodel #fit #felipefranco #naturalbodybuilding #13memo #aesthetics #motivation #muscle #workout #selfie #lifestyle #nopainNogain #swag #gymlife #physique #gym #fitlife #mensphysique  #FikaGrandePorra #vamonessa #vaivendo #bodyfitness #sportsmodel #esmagaquecresce #fitmodel #fitnessphotography #bodyfit
Sábado foi como?? Treino com o parça @pretohenrique de peito,delts e triceps, valeu pelo treino irmão, treino foi zika demais, tmj 👊🏼 Leg day teve, depois de muito tempo sem treinar perna, amanhã estarei de cadeira de rodas, boa noite é bom final de semana galerinha 💪🏽💀————————————— •👨‍⚕️Nutri: @luizrochanutri • ————————————— . . . . . . . . . . . #ff  #teamff  #fitnessmodel  #fit  #felipefranco  #naturalbodybuilding  #13memo  #aesthetics  #motivation  #muscle  #workout  #selfie  #lifestyle  #nopainNogain  #swag  #gymlife  #physique  #gym  #fitlife  #mensphysique  #FikaGrandePorra  #vamonessa  #vaivendo  #bodyfitness  #sportsmodel  #esmagaquecresce  #fitmodel  #fitnessphotography  #bodyfit 
Thank you PF Chang’s for the incredible pump from my team dinner with my students tonight💪... definitely putting all the crispy honey shrimp and rice to work 🍤🍚 #chinesefoodgains #pfchangspump
-
-
-
-
-
#saturdaynight #BPISports #TeamBPI #BPIAthlete #naturalbodybuilding
#classicphysique #training #contestprep  #mensphysique #champion #prepcoach
Winters arent so bad when you can layer up your jackets and sweaters!

Having a good body is just one part of the game, style and fashion are just as important!

#bodybuilding #naturalbodybuilding #strengthtraining #fit #fitfam #fitspo #instafit #fitness #fitnessmotivation #aesthetic #physique #naturalphysique #inspire #motivation #workout #exercise #tflers #health #shredded #ripped #muscle #gains #gymlife #gym #aesthetics #strong #followtrain #followers #fitspiration #winter
Winters arent so bad when you can layer up your jackets and sweaters! Having a good body is just one part of the game, style and fashion are just as important! #bodybuilding  #naturalbodybuilding  #strengthtraining  #fit  #fitfam  #fitspo  #instafit  #fitness  #fitnessmotivation  #aesthetic  #physique  #naturalphysique  #inspire  #motivation  #workout  #exercise  #tflers  #health  #shredded  #ripped  #muscle  #gains  #gymlife  #gym  #aesthetics  #strong  #followtrain  #followers  #fitspiration  #winter 
A little over 3 months post #hernia #surgery, & I can finally extend all the way out with the #abroller!! Yay! Did 6x10 and 5x1min #planks in between other exercises.
I trained rotator cuffs (RCs), calves, & core today! -
-
-
-
-
-
-
#figure #athelete #sixpack  #texasbodybuilding #npcfigure #momof5 #fitmomof5 #fitover40 #core #abs #therapy #bodybuilding #chickswholift #girlswithmuscles #workout #fitnessmotivation #gettingshredded #inspiration #nothingtastesasgoodasskinnyfeels #naturalbodybuilding
A little over 3 months post #hernia  #surgery , & I can finally extend all the way out with the #abroller !! Yay! Did 6x10 and 5x1min #planks  in between other exercises. I trained rotator cuffs (RCs), calves, & core today! - - - - - - - #figure  #athelete  #sixpack  #texasbodybuilding  #npcfigure  #momof5  #fitmomof5  #fitover40  #core  #abs  #therapy  #bodybuilding  #chickswholift  #girlswithmuscles  #workout  #fitnessmotivation  #gettingshredded  #inspiration  #nothingtastesasgoodasskinnyfeels  #naturalbodybuilding 
TC 24 Saturday turf day was challenging this morning!!! 💪🏻Loved it! Already sore🙌🏻 #sore247 #whateverittakes #lovelifting
💬«My mom just didn't put a very high premium on me being like really famous or really wealthy or anything.» - Martha Plimpton
⠀
FOLLOW 👉@muscle_ironhard👈
FOLLOW 👉@muscle_ironhard👈
⠀

#naturalbodybuilding #benchpressing #wbff #tricepdeps #krusadersfitness #competitionprep #womensphysique #workoutinspiration #bodypower #gymgoals #ifbbbikini
🔪🔪 week 22 – the feels when you had enough content recorded throughout my first week back in school/training clips for a YT vlog... but they’re nowhere to be found!? 😖 trying to get back in the YT game sloooowly. Just vlogging the lifestyle I have here in the PH. While dental school isn’t that busy hopefully I can upload a video sometime this upcoming week.. sorry fam! I know it’s been a minute. Currently training 6-7x per week and cardio on the weekends (preworkout 10mins and post workout 20mins). STRIVE FOR GREATNESS. .
⚠️Check out the links below for apparel and programs ⤵️ 📍pumpchasers.com
📍gethoeready.com
@beastmodejones @pumpchasers
@beastmodejones @pumpchasers
.
.
#cncrey #boutthatlife #pumpchasers #beastmode #timetogrind #POGarmy #teamChrisJones #naturalbodybuilding #cuttingseason
🔪🔪 week 22 – the feels when you had enough content recorded throughout my first week back in school/training clips for a YT vlog... but they’re nowhere to be found!? 😖 trying to get back in the YT game sloooowly. Just vlogging the lifestyle I have here in the PH. While dental school isn’t that busy hopefully I can upload a video sometime this upcoming week.. sorry fam! I know it’s been a minute. Currently training 6-7x per week and cardio on the weekends (preworkout 10mins and post workout 20mins). STRIVE FOR GREATNESS. . ⚠️Check out the links below for apparel and programs ⤵️ 📍pumpchasers.com 📍gethoeready.com @beastmodejones @pumpchasers @beastmodejones @pumpchasers . . #cncrey  #boutthatlife  #pumpchasers  #beastmode  #timetogrind  #POGarmy  #teamChrisJones  #naturalbodybuilding  #cuttingseason 
Some stage pics! 💙 This is certainly my biggest career highlight... winning the pro world title in fitness model at the Southern Universe World Championships @icompetenatural has been a goal I had set myself since just missing out last year. Fitness model division is where my heart is, it is where my body comfortably sits...I love the challenge of showing each and every hard earned muscle worked and grown through complete dedication to my sport, day in and day out. I love this sport, I love the people I meet through it and the avenues in which I have been blessed to grow and opportunities given as a result. 💙💙💙 whats next? 😏
.
Huge shout out to my amazing family back home as without your support with looking after our 3 babies back home, I would not be here!💙
To the most patient and strongest man in my life my husband Ryan... you are an incredible human. I love you, thank you for helping my pursue my dreams!💙
Tara, to have you as a friend and also a sponsor who believed in me from the beginning of all this, thank you @bronzedbyvictoriabelle 💙
Thank you to Tony and @patricia_df_lanciano who are honestly the most down to earth and welcoming couple, I know people say it all the time about this couple but seriously, the love and passion they give to their competitors and federation is second to none. Absolutely nailed the comp along with all their staff including Wayne and David.💙
Thank you also to @bulkpowdersau @purabon @nextflexfood for your continued support fuelling me with good, nutritional dense foods and supplements💙
#icn #icompetenatural #bodybuilding #bodybuilder #naturalbodybuilding #naturalcompetitor #worldchampion #winner #fitnessmodel #proathlete #bodygoals #proathlete #passion #dedication #determination #discipline #passion #icompeteaustralia #icnkorea #icnpakistan #fitfam #fitness #gains #muscle #fitmum #mumof3 #fitbusybody
Some stage pics! 💙 This is certainly my biggest career highlight... winning the pro world title in fitness model at the Southern Universe World Championships @icompetenatural has been a goal I had set myself since just missing out last year. Fitness model division is where my heart is, it is where my body comfortably sits...I love the challenge of showing each and every hard earned muscle worked and grown through complete dedication to my sport, day in and day out. I love this sport, I love the people I meet through it and the avenues in which I have been blessed to grow and opportunities given as a result. 💙💙💙 whats next? 😏 . Huge shout out to my amazing family back home as without your support with looking after our 3 babies back home, I would not be here!💙 To the most patient and strongest man in my life my husband Ryan... you are an incredible human. I love you, thank you for helping my pursue my dreams!💙 Tara, to have you as a friend and also a sponsor who believed in me from the beginning of all this, thank you @bronzedbyvictoriabelle 💙 Thank you to Tony and @patricia_df_lanciano who are honestly the most down to earth and welcoming couple, I know people say it all the time about this couple but seriously, the love and passion they give to their competitors and federation is second to none. Absolutely nailed the comp along with all their staff including Wayne and David.💙 Thank you also to @bulkpowdersau @purabon @nextflexfood for your continued support fuelling me with good, nutritional dense foods and supplements💙 #icn  #icompetenatural  #bodybuilding  #bodybuilder  #naturalbodybuilding  #naturalcompetitor  #worldchampion  #winner  #fitnessmodel  #proathlete  #bodygoals  #proathlete  #passion  #dedication  #determination  #discipline  #passion  #icompeteaustralia  #icnkorea  #icnpakistan  #fitfam  #fitness  #gains  #muscle  #fitmum  #mumof3  #fitbusybody 
Finally got around to making this... follow for all things bodybuilding, powerlifting, nutrition, biomechanics, philosophy, and everything in between.
⠀
#dchyperstrength #naturalbodybuilding #bodybuilding #powerlifting #hypertrophy #strength #biomechanics #nutrition #fitness #squat #bench #deadlift
Follow @thiccey 💝
@thiccey 💕@thiccey 💕
_
_
#fit#fitness#girl  #model #motivation #body  #aesthetic  #naturalbodybuilding #krate #fitnes #fitstagram #fitnation #fitnesswomen #babezwild #fitnessinspiration #epicbabez #aestethic #asthetics #aesthetix #workouttime

Model @iamunizz
Credit: @epic.babez
Peeling to perfection, Getting to Be Nasty Time , 2 weeks out from the final stage of the season.Chasing the PRO Card. #natural #naturalbodybuilding #bodybuilding #contestprep
Went with the Queen @cbugarin__ to the new Crunch downtown Long Beach and the pump was real! That gym is sick 🙌

Looking forward to Coming to Michigan this week 🤗🤗🤗🤗 If your looking to get in shape or do a show, check out my link in my bio or dm me! Taking on new clients all summer! 
Supps by @hbmaxmuscle

#fitfam #fitness #armday #flex #posing #longbeach #socal #naturalbodybuilding #classicphysique #bodybuilding #classic #goldenera #senororganic #repsforjesus #motivation #dedication #weekend #pythons #swoll #prepcoach #fitnesstips #curls #arnold
Went with the Queen @cbugarin__ to the new Crunch downtown Long Beach and the pump was real! That gym is sick 🙌 Looking forward to Coming to Michigan this week 🤗🤗🤗🤗 If your looking to get in shape or do a show, check out my link in my bio or dm me! Taking on new clients all summer! Supps by @hbmaxmuscle #fitfam  #fitness  #armday  #flex  #posing  #longbeach  #socal  #naturalbodybuilding  #classicphysique  #bodybuilding  #classic  #goldenera  #senororganic  #repsforjesus  #motivation  #dedication  #weekend  #pythons  #swoll  #prepcoach  #fitnesstips  #curls  #arnold 
If you can’t believe in unicorns, what else is there to believe in? 🦄
If you can’t believe in unicorns, what else is there to believe in? 🦄
When the preworkout kicks in first excercise!!
-
@redcon1 Total War + Big Noise + MOAB =?💪🏼💪🏼💪🏼💪🏼
-
Leg day quad pump!!
-
Coming out of a cut haven’t felt too pumped lately until today!!
-
Link and code in bio for this awesome stack!!!
-
@redcon1 @redcon1tieroperators  #redcon1 #rc1operator #redcon1tieroperator #weareredcon1 #higheststateofreadiness #transformation #bodybuilding #naturalbodybuilding #macros #iifym #gains #riseandgrind #shutupandlift #ipickthingsupandputthemdown #slowandsteady #teamchange #lifestyle #trainhard #leanbulk #hypertrophy #progressiveoverload #allrepsmatter #everyrepcounts #fitness #physique #fitlifestyle #fitlife #consistency #balance #preworkout
When the preworkout kicks in first excercise!! - @redcon1 Total War + Big Noise + MOAB =?💪🏼💪🏼💪🏼💪🏼 - Leg day quad pump!! - Coming out of a cut haven’t felt too pumped lately until today!! - Link and code in bio for this awesome stack!!! - @redcon1 @redcon1tieroperators #redcon1  #rc1operator  #redcon1tieroperator  #weareredcon1  #higheststateofreadiness  #transformation  #bodybuilding  #naturalbodybuilding  #macros  #iifym  #gains  #riseandgrind  #shutupandlift  #ipickthingsupandputthemdown  #slowandsteady  #teamchange  #lifestyle  #trainhard  #leanbulk  #hypertrophy  #progressiveoverload  #allrepsmatter  #everyrepcounts  #fitness  #physique  #fitlifestyle  #fitlife  #consistency  #balance  #preworkout 
Please vote for me DAILY!!!! I plan to donate $10,000 to El Camino High School and $10,000 to AAU Strength Sports. Plus I'll be on the magazine cover. Help me help these amazing establishments @mshealthandfitness
https://mshealthandfitness.us11.list-manage.com/track/click?u=5e26f9a246edf6c4d25c3a971&id=7900a6cd9c&e=6288c2c702

Every BODY's Fit 7602016784 www.everybodysfitoceanside.com 
#everybodysfit #mastertrainer #AAU #ICN #IDEA #AFAA #MensHealth #WomensHealth #NASM #coach #PersonalTrainer #trainer #groupexercise #naturalbodybuilding #nobodyshame #wellnesscoach #health #FITlife #FITMeals #pug #puglife #SteveNash #groupexercise #mshealthandfitness
Please vote for me DAILY!!!! I plan to donate $10,000 to El Camino High School and $10,000 to AAU Strength Sports. Plus I'll be on the magazine cover. Help me help these amazing establishments @mshealthandfitness https://mshealthandfitness.us11.list-manage.com/track/click?u=5e26f9a246edf6c4d25c3a971&id=7900a6cd9c&e=6288c2c702 Every BODY's Fit 7602016784 www.everybodysfitoceanside.com #everybodysfit  #mastertrainer  #AAU  #ICN  #IDEA  #AFAA  #MensHealth  #WomensHealth  #NASM  #coach  #PersonalTrainer  #trainer  #groupexercise  #naturalbodybuilding  #nobodyshame  #wellnesscoach  #health  #FITlife  #FITMeals  #pug  #puglife  #SteveNash  #groupexercise  #mshealthandfitness 
Athlete @jbfitness101 wins Open Class A Men’s Physique, Over All and his @naturallyfitforlife NFF PRO CARD.
-
Personal Trainer @kenderickwebb out of @chiselers_trainingfacility in Houston, TX
Athlete @jbfitness101 wins Open Class A Men’s Physique, Over All and his @naturallyfitforlife NFF PRO CARD. - Personal Trainer @kenderickwebb out of @chiselers_trainingfacility in Houston, TX
Os carboidratos têm sido vistos como grandes vilões para a saúde e com isso, dietas restritivas ou até mesmo sem carboidratos estão bastante na moda hoje em dia. Mas essa seria uma boa escolha para quem treina com alto volume  e intensidade, visando ganhos musculares?

A maior alegação dos "defensores" de dietas de baixo carboidrato é que os carboidratos não são "essenciais", como são alguns aminoácidos e gorduras para o organismo. Dizem que o corpo consegue produzir energia de outras fontes, através da gliconeogênese. Dessa forma, os carboidratos seriam "inúteis", e os grandes responsáveis pelo surto de obesidade mundial nos dias de hoje, pois a maior parte das dietas são normalmente ricas em carboidratos.

Primeiramente, os carboidratos não são vilões na questão da obesidade. As reais causas da obesidade são o excesso de calorias ingeridas e o sedentarismo, ou seja, o desequilíbrio entre demanda x oferta de calorias (leia o post anterior). O corpo realmente consegue produzir energia de outras fontes como proteínas e gorduras, mas de uma forma que não é tão eficiente (portanto não otimizadora), principalmente quando há necessidade de energia de forma imediata para atividades de alta intensidade. (Glicogênio muscular e hepático)

Assim, atletas que buscam otimização da performance, precisam de carboidratos em quantidades adequadas para manterem os rendimentos nos treinos, principalmente treinos de longa duração (acima de 1 hora). Carboidratos também ajudam diretamente na recuperação pós treino, diminuindo os níveis de cortisol.

Se a pessoa não tem alguma restrição médica e ela realiza treinos intensos e de alto volume ( ou seja, gera demanda), não há motivo para se reduzir ou retirar os carboidratos da dieta, a não ser que seja por preferência. Inclusive em dietas para perda de gordura, devem ser usados em quantidades adequadas para otimizar a recuperação e evitar aqueles colaterais indesejáveis de dietas restritivas (assunto para outro post). Carboidratos são combustiveis "Premium" para praticantes de atividade física e portanto, quem deseja otimizar a performance e a recuperação pós treino deve consumi-los em quantidades adequadas às suas necessidades!
Os carboidratos têm sido vistos como grandes vilões para a saúde e com isso, dietas restritivas ou até mesmo sem carboidratos estão bastante na moda hoje em dia. Mas essa seria uma boa escolha para quem treina com alto volume e intensidade, visando ganhos musculares? A maior alegação dos "defensores" de dietas de baixo carboidrato é que os carboidratos não são "essenciais", como são alguns aminoácidos e gorduras para o organismo. Dizem que o corpo consegue produzir energia de outras fontes, através da gliconeogênese. Dessa forma, os carboidratos seriam "inúteis", e os grandes responsáveis pelo surto de obesidade mundial nos dias de hoje, pois a maior parte das dietas são normalmente ricas em carboidratos. Primeiramente, os carboidratos não são vilões na questão da obesidade. As reais causas da obesidade são o excesso de calorias ingeridas e o sedentarismo, ou seja, o desequilíbrio entre demanda x oferta de calorias (leia o post anterior). O corpo realmente consegue produzir energia de outras fontes como proteínas e gorduras, mas de uma forma que não é tão eficiente (portanto não otimizadora), principalmente quando há necessidade de energia de forma imediata para atividades de alta intensidade. (Glicogênio muscular e hepático) Assim, atletas que buscam otimização da performance, precisam de carboidratos em quantidades adequadas para manterem os rendimentos nos treinos, principalmente treinos de longa duração (acima de 1 hora). Carboidratos também ajudam diretamente na recuperação pós treino, diminuindo os níveis de cortisol. Se a pessoa não tem alguma restrição médica e ela realiza treinos intensos e de alto volume ( ou seja, gera demanda), não há motivo para se reduzir ou retirar os carboidratos da dieta, a não ser que seja por preferência. Inclusive em dietas para perda de gordura, devem ser usados em quantidades adequadas para otimizar a recuperação e evitar aqueles colaterais indesejáveis de dietas restritivas (assunto para outro post). Carboidratos são combustiveis "Premium" para praticantes de atividade física e portanto, quem deseja otimizar a performance e a recuperação pós treino deve consumi-los em quantidades adequadas às suas necessidades!
Em economia existe a lei da oferta x demanda que é um modelo de determinação de preços em um mercado. Basicamente, esse modelo busca a uma estabilização entre a demanda e a oferta de um bem ou serviço.

Trazendo essa ideia para o ramo esportivo/nutricional, a ideia seria adequar  um plano nutricional (oferta) de forma equilibrada a um plano de treinamento físico (demanda). Dessa forma, a demanda deve criar a oferta, não o contrário. Em economia até é possível tentar "criar demanda" pela oferta (geralmente em casos mais específicos como novos produtos que ainda não entraram no mercado). Porém, é uma prática que leva a um certo risco que deve ser calculado.

No caso esportivo/nutricional, se ocorrer o inverso (a oferta tentar criar a demanda), o que acontecerá? Talvez basicamente no curto prazo, a maior energia ofertada apelos alimentos possa gerar estímulo para aumentar o gasto energético (criar demanda por atividades físicas) Porém, isso nem sempre acontece e nem em todas as pessoas, pois cada um tem um metabolismo diferente e a sua individualidade biológica.

Na maioria dos casos, ao se realizar tal prática (criar um plano nutricional primeiro, para depois adequar o treinamento a ele), o que geralmente acontece é um desequilíbrio de calorias, que acaba atrapalhando a atingir os resultados desejados.

Por exemplo, se o seu objetivo é perder peso e primeiramente for feito um plano nutricional (sem ter ideia da demanda que virá pelo treinamento), se o gasto energético gerado pelo treinamento não for suficiente, o resultado pretendido não será obtido, e se o gasto energético for muito além do ofertado inicialmente, haverá sérias consequências para a sustentabilidade rumo ao objetivo final, tanto na questão de saúde, performance e piora da composição corporal por perda de massa muscular.

Ou seja: o correto é sempre planejar primeiramente o treinamento físico (conhecer a demanda) para então ajustar a dieta (oferta) a ele. Dessa forma, o balanço energético fica adequado às suas necessidades, permitindo assim que se atinja o objetivo final.
Em economia existe a lei da oferta x demanda que é um modelo de determinação de preços em um mercado. Basicamente, esse modelo busca a uma estabilização entre a demanda e a oferta de um bem ou serviço. Trazendo essa ideia para o ramo esportivo/nutricional, a ideia seria adequar um plano nutricional (oferta) de forma equilibrada a um plano de treinamento físico (demanda). Dessa forma, a demanda deve criar a oferta, não o contrário. Em economia até é possível tentar "criar demanda" pela oferta (geralmente em casos mais específicos como novos produtos que ainda não entraram no mercado). Porém, é uma prática que leva a um certo risco que deve ser calculado. No caso esportivo/nutricional, se ocorrer o inverso (a oferta tentar criar a demanda), o que acontecerá? Talvez basicamente no curto prazo, a maior energia ofertada apelos alimentos possa gerar estímulo para aumentar o gasto energético (criar demanda por atividades físicas) Porém, isso nem sempre acontece e nem em todas as pessoas, pois cada um tem um metabolismo diferente e a sua individualidade biológica. Na maioria dos casos, ao se realizar tal prática (criar um plano nutricional primeiro, para depois adequar o treinamento a ele), o que geralmente acontece é um desequilíbrio de calorias, que acaba atrapalhando a atingir os resultados desejados. Por exemplo, se o seu objetivo é perder peso e primeiramente for feito um plano nutricional (sem ter ideia da demanda que virá pelo treinamento), se o gasto energético gerado pelo treinamento não for suficiente, o resultado pretendido não será obtido, e se o gasto energético for muito além do ofertado inicialmente, haverá sérias consequências para a sustentabilidade rumo ao objetivo final, tanto na questão de saúde, performance e piora da composição corporal por perda de massa muscular. Ou seja: o correto é sempre planejar primeiramente o treinamento físico (conhecer a demanda) para então ajustar a dieta (oferta) a ele. Dessa forma, o balanço energético fica adequado às suas necessidades, permitindo assim que se atinja o objetivo final.
A realização do movimento em um exercício com amplitude máxima (dentro da sua capacidade) é algo que deve ser sempre considerado, a não ser que a pessoa tenha alguma limitação física ou lesão (que de qualquer forma, devem ser corrigidas para que assim que possível, volte a se trabalhar com a máxima amplitude). Quanto maior a amplitude utilizada, maior o deslocamento realizado e, consequentemente, maior o trabalho e sobrecarga gerado no músculo. Além disso, permite atingir maior número de fibras musculares, em comparação com amplitudes mais limitadas. Usar a amplitude máxima também é uma ótima forma de manter a consistência ao longo do tempo no treinamento, mantendo um controle mais preciso da performance. Afinal, se você aumenta a carga mas reduz a amplitude, será que houve realmente progressão? Reflita... Muitas pessoas não utilizam amplitude máxima sem qualquer motivo concreto para isso. Talvez uma das razões seja o medo da possibilidade de lesão, que acaba sendo sem fundamento, pois quando se executa o movimento com a técnica correta, e se usa a amplitude máxima para a sua capacidade, esse risco é minimizado. Mas com certeza a maior razão provavelmente é o ego: ao realizar o movimento com máxima amplitude, a carga a ser utilizada acaba sendo bastante reduzida, e quando a pessoa não tem consciência do que realmente importa e de como tudo funciona, acaba preferindo usar cargas mais elevadas às custas de uma amplitude mais limitada. 
Porém, realizar tal prática acaba justamente aumentando o risco de lesão, pois grande parte do "excesso de carga" (compensado pela menor amplitude), que está além da sua capacidade física, sobrecarrega não só os músculos, mas as articulações e tendões relacionados.

Portanto, sempre que possível, use a maior amplitude para o movimento, com a técnica correta. Se tiver alguma limitação de mobilidade, trabalhe para corrigi-la. E lembre-se sempre que a carga importa em relação à intensidade do esforço, não ao valor absoluto (veja posts anteriores). Se você usar uma carga menor, porém com amplitude máxima e gerar sobrecarga progressiva ao longo do tempo, os ganhos desejados virão de forma consistente e com menor risco de lesões!
A realização do movimento em um exercício com amplitude máxima (dentro da sua capacidade) é algo que deve ser sempre considerado, a não ser que a pessoa tenha alguma limitação física ou lesão (que de qualquer forma, devem ser corrigidas para que assim que possível, volte a se trabalhar com a máxima amplitude). Quanto maior a amplitude utilizada, maior o deslocamento realizado e, consequentemente, maior o trabalho e sobrecarga gerado no músculo. Além disso, permite atingir maior número de fibras musculares, em comparação com amplitudes mais limitadas. Usar a amplitude máxima também é uma ótima forma de manter a consistência ao longo do tempo no treinamento, mantendo um controle mais preciso da performance. Afinal, se você aumenta a carga mas reduz a amplitude, será que houve realmente progressão? Reflita... Muitas pessoas não utilizam amplitude máxima sem qualquer motivo concreto para isso. Talvez uma das razões seja o medo da possibilidade de lesão, que acaba sendo sem fundamento, pois quando se executa o movimento com a técnica correta, e se usa a amplitude máxima para a sua capacidade, esse risco é minimizado. Mas com certeza a maior razão provavelmente é o ego: ao realizar o movimento com máxima amplitude, a carga a ser utilizada acaba sendo bastante reduzida, e quando a pessoa não tem consciência do que realmente importa e de como tudo funciona, acaba preferindo usar cargas mais elevadas às custas de uma amplitude mais limitada. Porém, realizar tal prática acaba justamente aumentando o risco de lesão, pois grande parte do "excesso de carga" (compensado pela menor amplitude), que está além da sua capacidade física, sobrecarrega não só os músculos, mas as articulações e tendões relacionados. Portanto, sempre que possível, use a maior amplitude para o movimento, com a técnica correta. Se tiver alguma limitação de mobilidade, trabalhe para corrigi-la. E lembre-se sempre que a carga importa em relação à intensidade do esforço, não ao valor absoluto (veja posts anteriores). Se você usar uma carga menor, porém com amplitude máxima e gerar sobrecarga progressiva ao longo do tempo, os ganhos desejados virão de forma consistente e com menor risco de lesões!
Essa uma grande discussão no meio desportivo. Muitos preconizam a realização de somente exercícios básicos (exercícios compostos), alegando que são os melhores construtores musculares, enquanto outros dão ênfase aos isoladores, alegando maior foco ao músculo alvo.

Mas afinal, quais são os melhores exercícios? A resposta sempre dependerá da especificidade da pessoa. Em geral, exercícios compostos geram maiores sobrecargas, justamente pela maior intensidade que pode ser utilizada (sempre com técnica de execução adequada). Esses exercícios livres são multiarticulares, e acabam envolvendo diversos grupamentos musculares. E justamente por isso, acabam gerando maior fadiga, que influenciará no rendimento final do treinamento, podendo inclusive afetar os treinos dos dias posteriores. Isso deve ser levado em conta na hora de se elaborar o programa de treinamento.

Iniciantes, principalmente, devem focar nesses exercícios, preocupando-se em desenvolver a técnica correta ao longo do tempo. Porém, o que costuma ser visto, é a maioria se preocupando em realizar quase que exclusivamente exercícios totalmente isoladores, principalmente em máquinas e cabos. 
Exercícios isoladores, principalmente em máquinas e cabos, são úteis sim! Mas devem ser usados de forma planejada e consciente, como complemento de treino, para corrigir alguma assimetria, ou quando se tem alguma limitação física ou lesão. Costumam gerar menos fadiga se comparados aos exercícios compostos, mas acabam não gerando tanta sobrecarga quanto os básicos.

Uma boa ideia é usar a regra de Pareto (mencionada em posts anteriores), onde poderia se focar cerca de 70-80% nos exercícios compostos e o restante nos isoladores (claro que isso pode variar conforme a necessidade)

A combinação de exercícios compostos e isoladores acaba sendo uma boa forma de otimizar a questão da sobrecarga x fadiga, pois os isoladores servem como complemento de volume junto aos compostos, sem gerar tanta fadiga.

Portanto, deve-se ter um bom motivo para realizar exercícios isoladores em maior proporção em relação aos compostos, sob pena de se limitar os ganhos desejados!
Essa uma grande discussão no meio desportivo. Muitos preconizam a realização de somente exercícios básicos (exercícios compostos), alegando que são os melhores construtores musculares, enquanto outros dão ênfase aos isoladores, alegando maior foco ao músculo alvo. Mas afinal, quais são os melhores exercícios? A resposta sempre dependerá da especificidade da pessoa. Em geral, exercícios compostos geram maiores sobrecargas, justamente pela maior intensidade que pode ser utilizada (sempre com técnica de execução adequada). Esses exercícios livres são multiarticulares, e acabam envolvendo diversos grupamentos musculares. E justamente por isso, acabam gerando maior fadiga, que influenciará no rendimento final do treinamento, podendo inclusive afetar os treinos dos dias posteriores. Isso deve ser levado em conta na hora de se elaborar o programa de treinamento. Iniciantes, principalmente, devem focar nesses exercícios, preocupando-se em desenvolver a técnica correta ao longo do tempo. Porém, o que costuma ser visto, é a maioria se preocupando em realizar quase que exclusivamente exercícios totalmente isoladores, principalmente em máquinas e cabos. Exercícios isoladores, principalmente em máquinas e cabos, são úteis sim! Mas devem ser usados de forma planejada e consciente, como complemento de treino, para corrigir alguma assimetria, ou quando se tem alguma limitação física ou lesão. Costumam gerar menos fadiga se comparados aos exercícios compostos, mas acabam não gerando tanta sobrecarga quanto os básicos. Uma boa ideia é usar a regra de Pareto (mencionada em posts anteriores), onde poderia se focar cerca de 70-80% nos exercícios compostos e o restante nos isoladores (claro que isso pode variar conforme a necessidade) A combinação de exercícios compostos e isoladores acaba sendo uma boa forma de otimizar a questão da sobrecarga x fadiga, pois os isoladores servem como complemento de volume junto aos compostos, sem gerar tanta fadiga. Portanto, deve-se ter um bom motivo para realizar exercícios isoladores em maior proporção em relação aos compostos, sob pena de se limitar os ganhos desejados!
Para início de conversa, não existe milagre! Se você está esperando como resposta alguma dieta específica, algum nutriente ou suplemento, ou método de treinamento específico, você está completamente enganado.

Os 2 pontos "chaves" que os melhores nutricionistas e treinadores utilizam para garantirem que seus clientes atinjam seus objetivos (ou seja, para garantirem a eficácia dos seus programas), são: CONTROLE e AJUSTE. 
Aposto que essa resposta pode decepcionar muita gente num primeiro momento, especificamente aquelas pessoas que realmente não têm muito conhecimento (principalmente prático) do assunto.

Mas o grande "segredo" de um programa alimentar ou de treinamento físico para  obter sucesso, principalmente no longo prazo, é o controle preciso das variáveis que realmente importam e os ajustes necessários, conforme a necessidade. Esses 2 pontos importantíssimos irão corrigir erros e desvios que ocorrem naturalmente ao longo do processo, garantindo assim a permanência na direção correta, rumo ao objetivo final.

Talvez esses 2 pontos sejam os mais negligenciados e, sem sombra de dúvidas, os maiores responsáveis pelos insucessos que ocorrem nesses ramos.

E vale ressaltar que um ponto depende diretamente do outro: se houver controle preciso, mas faltar ajuste ou o ajuste for feito de maneira errada, o programa irá falhar. Da mesma forma, muitos ignoram o controle das variáveis básicas e importantes relacionadas ao treinamento e à dieta, focando exclusivamente em realizar ajustes, que obviamente (por não haver controle adequado), não os colocarão na direção certa para obterem o resultado que desejam.

Resumindo: controle e ajuste são pontos fundamentais para qualquer processo que tenha como objetivo a melhoria contínua e resultados a serem atingidos, seja na nutrição, seja no treinamento físico, seja numa indústria, seja em qualquer área da vida! 👊💪
Para início de conversa, não existe milagre! Se você está esperando como resposta alguma dieta específica, algum nutriente ou suplemento, ou método de treinamento específico, você está completamente enganado. Os 2 pontos "chaves" que os melhores nutricionistas e treinadores utilizam para garantirem que seus clientes atinjam seus objetivos (ou seja, para garantirem a eficácia dos seus programas), são: CONTROLE e AJUSTE. Aposto que essa resposta pode decepcionar muita gente num primeiro momento, especificamente aquelas pessoas que realmente não têm muito conhecimento (principalmente prático) do assunto. Mas o grande "segredo" de um programa alimentar ou de treinamento físico para obter sucesso, principalmente no longo prazo, é o controle preciso das variáveis que realmente importam e os ajustes necessários, conforme a necessidade. Esses 2 pontos importantíssimos irão corrigir erros e desvios que ocorrem naturalmente ao longo do processo, garantindo assim a permanência na direção correta, rumo ao objetivo final. Talvez esses 2 pontos sejam os mais negligenciados e, sem sombra de dúvidas, os maiores responsáveis pelos insucessos que ocorrem nesses ramos. E vale ressaltar que um ponto depende diretamente do outro: se houver controle preciso, mas faltar ajuste ou o ajuste for feito de maneira errada, o programa irá falhar. Da mesma forma, muitos ignoram o controle das variáveis básicas e importantes relacionadas ao treinamento e à dieta, focando exclusivamente em realizar ajustes, que obviamente (por não haver controle adequado), não os colocarão na direção certa para obterem o resultado que desejam. Resumindo: controle e ajuste são pontos fundamentais para qualquer processo que tenha como objetivo a melhoria contínua e resultados a serem atingidos, seja na nutrição, seja no treinamento físico, seja numa indústria, seja em qualquer área da vida! 👊💪
Quando o controle da performance do treino é feito da maneira correta, é possível manter a progressão de forma consistente e realizar ajustes quando forem necessários. Quando você mantém registros dos seus treinos anteriores, você pode comparar fases de treinamento semelhantes e verificar se houve melhoria ao longo do tempo. Indicadores de performance nos exercícios são ótimos parâmetros para confirmar ganhos de hipertrofia muscular. 
Por exemplo, se há 6 meses atrás você realizou uma série de agachamento livre com 40kg de cada lado para 10 repetições e nos treinos atuais você executa as mesmas 10 repetições com 50kg de cada lado, bem provavelmente seus membros inferiores estarão bem maiores. Nesse exemplo foram usados valores "arredondados" para facilitar o entendimento, mas na realidade esses valores serão "quebrados", então provavelmente você não conseguirá se lembrar dos valores exatos se não fizer o registro adequadamente.

Com relação à falha muscular, como já discutido em posts anteriores, ela não garante que esteja havendo progressão e melhoria da performance (sobrecarga progressiva) ao longo do tempo. Se o atleta estiver treinando de forma errada (em excesso por exemplo), apesar de ele estar treinando até a falha muscular (e assim gerando intensidade de esforço máxima), a performance nos treinos pode começar a cair devido ao grande acúmulo de fadiga. Se não há controle da performance (registros do treinamento), o atleta pode demorar perceber que está tendo problemas, além de negligenciar o principal fator para ganhos musculares, a sobrecarga progressiva.

Assim, novamente, a falha muscular deve ser usada como ferramenta para gerar um estímulo específico, não como principal parâmetro para garantia de evolução. O que vai garantir que haja evolução no longo prazo é o controle preciso da performance por meio de indicadores de desempenho.

Lembre-se: para um bom gerenciamento, é imprescindível o controle adequado por meio de indicadores de desempenho!
Quando o controle da performance do treino é feito da maneira correta, é possível manter a progressão de forma consistente e realizar ajustes quando forem necessários. Quando você mantém registros dos seus treinos anteriores, você pode comparar fases de treinamento semelhantes e verificar se houve melhoria ao longo do tempo. Indicadores de performance nos exercícios são ótimos parâmetros para confirmar ganhos de hipertrofia muscular. Por exemplo, se há 6 meses atrás você realizou uma série de agachamento livre com 40kg de cada lado para 10 repetições e nos treinos atuais você executa as mesmas 10 repetições com 50kg de cada lado, bem provavelmente seus membros inferiores estarão bem maiores. Nesse exemplo foram usados valores "arredondados" para facilitar o entendimento, mas na realidade esses valores serão "quebrados", então provavelmente você não conseguirá se lembrar dos valores exatos se não fizer o registro adequadamente. Com relação à falha muscular, como já discutido em posts anteriores, ela não garante que esteja havendo progressão e melhoria da performance (sobrecarga progressiva) ao longo do tempo. Se o atleta estiver treinando de forma errada (em excesso por exemplo), apesar de ele estar treinando até a falha muscular (e assim gerando intensidade de esforço máxima), a performance nos treinos pode começar a cair devido ao grande acúmulo de fadiga. Se não há controle da performance (registros do treinamento), o atleta pode demorar perceber que está tendo problemas, além de negligenciar o principal fator para ganhos musculares, a sobrecarga progressiva. Assim, novamente, a falha muscular deve ser usada como ferramenta para gerar um estímulo específico, não como principal parâmetro para garantia de evolução. O que vai garantir que haja evolução no longo prazo é o controle preciso da performance por meio de indicadores de desempenho. Lembre-se: para um bom gerenciamento, é imprescindível o controle adequado por meio de indicadores de desempenho!
Realmente, músculo não sabe "contar". A "linguagem" que ele entende é a de estímulos físicos para que consiga gerar  uma determinada resposta (crescimento). O problema é quando essa afirmação passa a ser usada como diretriz para treinamento. Geralmente a recomendação é para que a pessoa escolha qualquer carga para determinado exercício, e que realize o número de repetições que forem possíveis com essa carga, comumente até a falha muscular. Mais uma vez, essa é uma tendência de usar a falha muscular como principal parâmetro para controle do treinamento (já foi discutido no post anterior). Não que essa recomendação não possa gerar resultados. Principalmente no curto prazo, ela pode gerar ganhos, ainda mais se a pessoa não estiver acostumada com o estímulo que foi dado ao músculo. Porém, sabe-se que grande parte dos ganhos musculares se dá no longo prazo, por meio de sobrecarga progressiva ao longo do tempo, quando há consistência.

De forma simples, o maior problema de se levar essa afirmação ao pé da letra (usá-la como diretriz) é que acaba se perdendo o controle da performance no treinamento. É importante frisar que só é possível se gerenciar aquilo que pode ser controlado de forma adequada. Portanto, se você não tem controle da sua performance ao longo do tempo, você provavelmente não estará obtendo resultados ótimos (se ainda estiver obtendo algum). Exemplo: em um treino você escolhe usar 10 placas para realizar uma extensão de tríceps no cabo, e consegue executar 10 rep até a falha (porém sem "contar" ou mais precisamente "controlar" quantas repetições foram feitas), no próximo você usa 7 placas e executa 15 rep até a falha (novamente sem controlar). Como você terá certeza que sua performance está progredindo, se você além de ter alterado a intensidade (carga), não teve controle de quantas repetições foram realizadas de um treino para o outro? Como saberá se está gerando sobrecarga progressiva ou não?

A ideia correta do músculo não "saber contar" é que não importa se são 30 ou 50 kg, se foram 8 ou 15 repetições, contanto que a intensidade absoluta esteja dentro dos parâmetros adequados para hipertrofia e que a intensidade do esforço seja apropriada. 👊💪
Realmente, músculo não sabe "contar". A "linguagem" que ele entende é a de estímulos físicos para que consiga gerar uma determinada resposta (crescimento). O problema é quando essa afirmação passa a ser usada como diretriz para treinamento. Geralmente a recomendação é para que a pessoa escolha qualquer carga para determinado exercício, e que realize o número de repetições que forem possíveis com essa carga, comumente até a falha muscular. Mais uma vez, essa é uma tendência de usar a falha muscular como principal parâmetro para controle do treinamento (já foi discutido no post anterior). Não que essa recomendação não possa gerar resultados. Principalmente no curto prazo, ela pode gerar ganhos, ainda mais se a pessoa não estiver acostumada com o estímulo que foi dado ao músculo. Porém, sabe-se que grande parte dos ganhos musculares se dá no longo prazo, por meio de sobrecarga progressiva ao longo do tempo, quando há consistência. De forma simples, o maior problema de se levar essa afirmação ao pé da letra (usá-la como diretriz) é que acaba se perdendo o controle da performance no treinamento. É importante frisar que só é possível se gerenciar aquilo que pode ser controlado de forma adequada. Portanto, se você não tem controle da sua performance ao longo do tempo, você provavelmente não estará obtendo resultados ótimos (se ainda estiver obtendo algum). Exemplo: em um treino você escolhe usar 10 placas para realizar uma extensão de tríceps no cabo, e consegue executar 10 rep até a falha (porém sem "contar" ou mais precisamente "controlar" quantas repetições foram feitas), no próximo você usa 7 placas e executa 15 rep até a falha (novamente sem controlar). Como você terá certeza que sua performance está progredindo, se você além de ter alterado a intensidade (carga), não teve controle de quantas repetições foram realizadas de um treino para o outro? Como saberá se está gerando sobrecarga progressiva ou não? A ideia correta do músculo não "saber contar" é que não importa se são 30 ou 50 kg, se foram 8 ou 15 repetições, contanto que a intensidade absoluta esteja dentro dos parâmetros adequados para hipertrofia e que a intensidade do esforço seja apropriada. 👊💪
Busque a melhoria contínua, de forma progressiva, em todos os aspectos da vida! Mas nunca deixe que o "ego" prevaleça sobre sua consciência!

#instagood #insta #instapic #photography #photooftheday #photo #motivation #motivação #consciencia #mindfulness #picoftheday #blessed #happy #tbt #kaizen #nopainnogain #fitness #fitnessmotivation #gym #naturalbodybuilder #naturalbodybuilding #estilodevida #lifestyle #instagram #instago
Sabemos que falha muscular é uma estratégia bastante útil e eficaz, quando usada de forma consciente e bem planejada, em fases específicas do treinamento, principalmente no caso de atletas em estágios mais avançados, que necessitam de maiores estímulos para continuarem a obter ganhos, que vão ficando cada vez mais difíceis, devido à adaptação que vai ocorrendo.

Muitos profissionais defendem que a falha muscular é o melhor parâmetro para controle do treinamento. A alegação (de forma simples) é que ao se chegar à falha muscular, é dado o maior estímulo para o músculo se desenvolver. Assim, muitos treinadores recomendam não se importar com a carga a ser utilizada (ou seja, não haveria necessidade de controle da carga), contanto que a série seja executada até a falha muscular. A ideia é que como todo treinamento seria feito até a falha, sempre se daria o maior estímulo necessário para o músculo e assim, haveria progressão ao longo do tempo e otimização dos ganhos.

Porém, existem alguns pontos que devem ser considerados e que podem mudar essa forma de enxergar a falha muscular como parâmetro e indicador de progressão, passando a ser vista mais como ferramenta (estratégia) a ser utilizada.

Um dos principais pontos já foi mencionado em posts anteriores: a fadiga gerada por séries realizadas até a falha é exponencialmente maior (e vai se acumulando a cada treino) em relação às séries realizadas próximas à falha. 
Outro ponto que não costuma ser mencionado é que muitos fatores podem afetar sua capacidade de executar as séries, física e mentalmente. Longos períodos de alto estresse, dieta hipocalórica, gerenciamento da fadiga de forma inadequada, descanso inadequado e até mesmo treinamento de forma errada (em excesso por exemplo), podem fazer você ter que diminuir a carga e/ou volume para "ajustar" essa falta de capacidade. É claro que não me refiro a alguns dias em que isso possa ocorrer (que é perfeitamente normal), mas ao longo do tempo (como tendência). Nesse caso, se você só tomar a falha como parâmetro, você poderá estar não só negligenciando o principal fator para ganhos musculares - a sobrecarga progressiva - como até estar regredindo!

Fique atento!
Sabemos que falha muscular é uma estratégia bastante útil e eficaz, quando usada de forma consciente e bem planejada, em fases específicas do treinamento, principalmente no caso de atletas em estágios mais avançados, que necessitam de maiores estímulos para continuarem a obter ganhos, que vão ficando cada vez mais difíceis, devido à adaptação que vai ocorrendo. Muitos profissionais defendem que a falha muscular é o melhor parâmetro para controle do treinamento. A alegação (de forma simples) é que ao se chegar à falha muscular, é dado o maior estímulo para o músculo se desenvolver. Assim, muitos treinadores recomendam não se importar com a carga a ser utilizada (ou seja, não haveria necessidade de controle da carga), contanto que a série seja executada até a falha muscular. A ideia é que como todo treinamento seria feito até a falha, sempre se daria o maior estímulo necessário para o músculo e assim, haveria progressão ao longo do tempo e otimização dos ganhos. Porém, existem alguns pontos que devem ser considerados e que podem mudar essa forma de enxergar a falha muscular como parâmetro e indicador de progressão, passando a ser vista mais como ferramenta (estratégia) a ser utilizada. Um dos principais pontos já foi mencionado em posts anteriores: a fadiga gerada por séries realizadas até a falha é exponencialmente maior (e vai se acumulando a cada treino) em relação às séries realizadas próximas à falha. Outro ponto que não costuma ser mencionado é que muitos fatores podem afetar sua capacidade de executar as séries, física e mentalmente. Longos períodos de alto estresse, dieta hipocalórica, gerenciamento da fadiga de forma inadequada, descanso inadequado e até mesmo treinamento de forma errada (em excesso por exemplo), podem fazer você ter que diminuir a carga e/ou volume para "ajustar" essa falta de capacidade. É claro que não me refiro a alguns dias em que isso possa ocorrer (que é perfeitamente normal), mas ao longo do tempo (como tendência). Nesse caso, se você só tomar a falha como parâmetro, você poderá estar não só negligenciando o principal fator para ganhos musculares - a sobrecarga progressiva - como até estar regredindo! Fique atento!
No post anterior foi explicado que o valor absoluto da carga (intensidade absoluta) não importa no curto prazo, desde que essa carga gere estímulos de intensidade dentro dos parâmetros mínimos e máximos para hipertrofia. 
Vamos a um exemplo prático:

Se no seu programa de treinamento informa que se deve realizar um exercício com 70-75% da RM, ou seja, cerca de 10-12RM, e que as séries devem ser feitas até a falha (intensidade do esforço máxima, ou seja, máxima intensidade relativa), a carga que deve ser escolhida é a carga que permitirá executar no máximo 10-12 repetições (logicamente com boa técnica de execução). O valor dessa carga em termos absolutos não importa, se será de 20, 40 ou 70kg, contanto que ela permita atingir as 10-12 repetições. Se você executar menos de 10 ou mais de 12 repetições (nesse exemplo específico), a carga não foi escolhida corretamente. Cada indivíduo tem suas próprias RM's de acordo com o estágio de evolução e experiência de treinamento, num momento específico.

Ou seja: pare de se preocupar e de se comparar com alguém que esteja levantando 50kg de cada lado no supino, pois essa carga é adequada para aquela pessoa gerar o esforço relativo (intensidade relativa) necessário conforme o plano de treinamento dela. Essa pessoa pode conseguir realizar com esses 50kg as 10-12RM's na intensidade relativa máxima, e no caso dela, se ela usasse 30kg ficaria muito leve, fugindo assim do estímulo que deveria ser dado conforme o programado. No seu caso, para se ter o mesmo efeito desejado, talvez 25kg seriam adequados para se realizar as 10-12RM's.

O importante quando se trata de carga em valores absolutos é que ela gere o esforço relativo planejado, que ela esteja dentro dos parâmetros necessários para hipertrofia, e que ela aumente progressivamente ao longo do tempo. Dessa forma, hoje você consegue executar 10-12RM's com 25kg de cada lado no supino, mas treinando de forma correta, planejada e garantindo sobrecarga progressiva, daqui a algum tempo você precisará dos 50kg de cada lado para gerar o mesmo esforço relativo para a mesma faixa de repetições.
No post anterior foi explicado que o valor absoluto da carga (intensidade absoluta) não importa no curto prazo, desde que essa carga gere estímulos de intensidade dentro dos parâmetros mínimos e máximos para hipertrofia. Vamos a um exemplo prático: Se no seu programa de treinamento informa que se deve realizar um exercício com 70-75% da RM, ou seja, cerca de 10-12RM, e que as séries devem ser feitas até a falha (intensidade do esforço máxima, ou seja, máxima intensidade relativa), a carga que deve ser escolhida é a carga que permitirá executar no máximo 10-12 repetições (logicamente com boa técnica de execução). O valor dessa carga em termos absolutos não importa, se será de 20, 40 ou 70kg, contanto que ela permita atingir as 10-12 repetições. Se você executar menos de 10 ou mais de 12 repetições (nesse exemplo específico), a carga não foi escolhida corretamente. Cada indivíduo tem suas próprias RM's de acordo com o estágio de evolução e experiência de treinamento, num momento específico. Ou seja: pare de se preocupar e de se comparar com alguém que esteja levantando 50kg de cada lado no supino, pois essa carga é adequada para aquela pessoa gerar o esforço relativo (intensidade relativa) necessário conforme o plano de treinamento dela. Essa pessoa pode conseguir realizar com esses 50kg as 10-12RM's na intensidade relativa máxima, e no caso dela, se ela usasse 30kg ficaria muito leve, fugindo assim do estímulo que deveria ser dado conforme o programado. No seu caso, para se ter o mesmo efeito desejado, talvez 25kg seriam adequados para se realizar as 10-12RM's. O importante quando se trata de carga em valores absolutos é que ela gere o esforço relativo planejado, que ela esteja dentro dos parâmetros necessários para hipertrofia, e que ela aumente progressivamente ao longo do tempo. Dessa forma, hoje você consegue executar 10-12RM's com 25kg de cada lado no supino, mas treinando de forma correta, planejada e garantindo sobrecarga progressiva, daqui a algum tempo você precisará dos 50kg de cada lado para gerar o mesmo esforço relativo para a mesma faixa de repetições.
Existe um verdadeiro "cabo de guerra" quando o assunto é a escolha da melhor carga a ser utilizada para realização dos exercícios: há os que dizem que quanto mais carga se utilizar, melhor e os que dizem que a carga pouco importa, desde que se faça de forma bem concentrada, "sentindo" bem o músculo-alvo. Mas qual seria a verdadeira resposta para essa questão?

Pra começar, é ÓBVIO que a carga a ser utilizada importa. Afinal, a sobrecarga (ou volume de carga) é dada pelo produto da carga x séries x repetições. Assim, quanto maior a carga utilizada, maior será a sobrecarga. (isso só é válido se a execução do movimento estiver correta - lembrar que a técnica de execução é um pilar básico para a evolução ao longo do tempo). Porém existe um "tradeoff" nessa fórmula: quanto maior a carga, maior a sobrecarga, porém o acúmulo da fadiga é maior, consequentemente as séries e repetições tendem a cair (são inversamente proporcionais). Da mesma forma, quanto menor a carga, mais repetições e mais séries são possíveis de serem realizadas, (dentro de um limite, pois alto volume também acaba acumulando fadiga rapidamente). No curto prazo, o que realmente importa não é o valor absoluto da carga (intensidade absoluta), mas sim o valor relativo (intensidade relativa), que se refere à intensidade do esforço realizado, ou quão próximo a falha a série foi realizada. Em termos de intensidade absoluta, o que realmente importa é que ela aumente progressivamente ao longo do tempo (garantindo sobrecarga progressiva)

Para facilitar o entendimento: 50kg de cada lado no supino é pesado? É uma carga adequada a ser usada? Depende do estágio de treinamento do indivíduo: para alguém avançado pode ser leve, mas para um intermediário pode ser muito pesado. Ou seja, o valor absoluto da carga no curto prazo, se "x,y, ou z" não importa muito, desde que ela esteja dentro dos parâmetros mínimos e máximos de intensidade para hipertrofia, que segundo as mais recentes metanálises ficam entre 30-85%RM.

No curto prazo o importante é escolher  uma carga que gere uma intensidade relativa adequada à sua capacidade, que esteja adequada à periodização do seu treinamento e que respeite a especificidade.
Existe um verdadeiro "cabo de guerra" quando o assunto é a escolha da melhor carga a ser utilizada para realização dos exercícios: há os que dizem que quanto mais carga se utilizar, melhor e os que dizem que a carga pouco importa, desde que se faça de forma bem concentrada, "sentindo" bem o músculo-alvo. Mas qual seria a verdadeira resposta para essa questão? Pra começar, é ÓBVIO que a carga a ser utilizada importa. Afinal, a sobrecarga (ou volume de carga) é dada pelo produto da carga x séries x repetições. Assim, quanto maior a carga utilizada, maior será a sobrecarga. (isso só é válido se a execução do movimento estiver correta - lembrar que a técnica de execução é um pilar básico para a evolução ao longo do tempo). Porém existe um "tradeoff" nessa fórmula: quanto maior a carga, maior a sobrecarga, porém o acúmulo da fadiga é maior, consequentemente as séries e repetições tendem a cair (são inversamente proporcionais). Da mesma forma, quanto menor a carga, mais repetições e mais séries são possíveis de serem realizadas, (dentro de um limite, pois alto volume também acaba acumulando fadiga rapidamente). No curto prazo, o que realmente importa não é o valor absoluto da carga (intensidade absoluta), mas sim o valor relativo (intensidade relativa), que se refere à intensidade do esforço realizado, ou quão próximo a falha a série foi realizada. Em termos de intensidade absoluta, o que realmente importa é que ela aumente progressivamente ao longo do tempo (garantindo sobrecarga progressiva) Para facilitar o entendimento: 50kg de cada lado no supino é pesado? É uma carga adequada a ser usada? Depende do estágio de treinamento do indivíduo: para alguém avançado pode ser leve, mas para um intermediário pode ser muito pesado. Ou seja, o valor absoluto da carga no curto prazo, se "x,y, ou z" não importa muito, desde que ela esteja dentro dos parâmetros mínimos e máximos de intensidade para hipertrofia, que segundo as mais recentes metanálises ficam entre 30-85%RM. No curto prazo o importante é escolher uma carga que gere uma intensidade relativa adequada à sua capacidade, que esteja adequada à periodização do seu treinamento e que respeite a especificidade.
Definitivamente: qualquer método, desde que seja respeitada a especificidade (fundamento básico), se adeque às necessidades da pessoa (volume/intensidade/frequência), os exercícios sejam realizados com a técnica correta e desde que haja sobrecarga progressiva ao longo do tempo.

Qualquer método que respeite os fundamentos básicos de treinamento pode ser eficaz (pode gerar resultados). Não existe "segredo" ou "mágica" em nenhum deles. 
Existem pessoas que alternam entre um método e outro, para evitar que o corpo se acostume com o mesmo estímulo. É uma ideia válida, porém acaba violando (se não souber exatamente o que está fazendo), o fator primordial para hipertrofia que é a sobrecarga progressiva ao longo do tempo.

Dando exemplos simples de serem entendidos: se um atleta usa o FST-7 como método de treinamento, mas não usa técnica correta de execução, provavelmente não terá os melhores ganhos. Da mesma forma, se um outro atleta usa o SST, mas não respeita a especificidade que é necessária, ele pode estar direcionando ganhos para áreas que não deveria ou até mesmo comprometendo as que deveriam estar sendo focadas. E se um atleta usa o método "ponto zero" do mestre Fernando Sardinha mas não controla e garante que ocorra sobrecarga progressiva ao longo do tempo, os ganhos que ele terá serão apenas no curto prazo.

Resumindo: o melhor método de treinamento é o que se adequa às necessidades do atleta e que seja moldado e respeite os fundamentos básicos de treinamento. As diferenças entre eles (apesar de usarem protocolos bem diferentes), é pequena do ponto de vista de estímulos gerados, estímulos que são metabólicos (e que geram alto pump). O método que for usado com sobrecarga progressiva irá gerar resultados no curto e no longo prazo.
Definitivamente: qualquer método, desde que seja respeitada a especificidade (fundamento básico), se adeque às necessidades da pessoa (volume/intensidade/frequência), os exercícios sejam realizados com a técnica correta e desde que haja sobrecarga progressiva ao longo do tempo. Qualquer método que respeite os fundamentos básicos de treinamento pode ser eficaz (pode gerar resultados). Não existe "segredo" ou "mágica" em nenhum deles. Existem pessoas que alternam entre um método e outro, para evitar que o corpo se acostume com o mesmo estímulo. É uma ideia válida, porém acaba violando (se não souber exatamente o que está fazendo), o fator primordial para hipertrofia que é a sobrecarga progressiva ao longo do tempo. Dando exemplos simples de serem entendidos: se um atleta usa o FST-7 como método de treinamento, mas não usa técnica correta de execução, provavelmente não terá os melhores ganhos. Da mesma forma, se um outro atleta usa o SST, mas não respeita a especificidade que é necessária, ele pode estar direcionando ganhos para áreas que não deveria ou até mesmo comprometendo as que deveriam estar sendo focadas. E se um atleta usa o método "ponto zero" do mestre Fernando Sardinha mas não controla e garante que ocorra sobrecarga progressiva ao longo do tempo, os ganhos que ele terá serão apenas no curto prazo. Resumindo: o melhor método de treinamento é o que se adequa às necessidades do atleta e que seja moldado e respeite os fundamentos básicos de treinamento. As diferenças entre eles (apesar de usarem protocolos bem diferentes), é pequena do ponto de vista de estímulos gerados, estímulos que são metabólicos (e que geram alto pump). O método que for usado com sobrecarga progressiva irá gerar resultados no curto e no longo prazo.
A palavra "consistência" apresenta diversos significados. Ao se referir a algum tipo processo (qualquer que seja), que tenha entrada de insumos, transformação e saída de produtos (resultados), geralmente significa coerência, aderência ou de certa forma alguma forma de "padrão". Ao tratarmos de treinamento físico, quando se tem consistência no programa, o controle fica muito mais preciso e os ajustes podem ser feitos de forma muito mais adequada, sem interferências de outras variáveis. Por exemplo: se você realiza uma série de um exercício com cadências completamente diferentes a cada treino, ao mesmo tempo progredindo com a carga e não mantém certo padrão no tempo de descanso entre séries, caso sua performance comece a ser afetada, como você saberá qual variável é a causa provável? Como saberá qual deve ser o melhor ajuste? Como você saberá que está havendo sobrecarga progressiva, se até o tempo sob tensão nos exercícios está completamente variado? Como podemos ver, o controle fica bem comprometido.

Em relação à parte nutricional, a consistência também permite um melhor controle para possíveis ajustes futuros. Se você começa a fugir muito do seu plano alimentar, como saberá se a sua perda de peso (se for seu objetivo) não está ocorrendo por adaptação do seu metabolismo ou pela falta de disciplina de manter o plano?

Em grandes e renomadas empresas, sempre há padronização das atividades, justamente para haver total controle visando otimização dos resultados. Vale lembrar que apenas se gerencia aquilo que se pode controlar de forma adequada.  Havendo consistência nas atividades do processo, algum desvio do padrão (ou indicador que mostre desvio do resultado pretendido) pode ser imediatamente corrigido para que o processo "volte aos trilhos" e assim haja garantia de que o caminho ao objetivo está correto.

Jamais subestime a importância da consistência. Principalmente se você tem o objetivo de melhorar em algo.
A palavra "consistência" apresenta diversos significados. Ao se referir a algum tipo processo (qualquer que seja), que tenha entrada de insumos, transformação e saída de produtos (resultados), geralmente significa coerência, aderência ou de certa forma alguma forma de "padrão". Ao tratarmos de treinamento físico, quando se tem consistência no programa, o controle fica muito mais preciso e os ajustes podem ser feitos de forma muito mais adequada, sem interferências de outras variáveis. Por exemplo: se você realiza uma série de um exercício com cadências completamente diferentes a cada treino, ao mesmo tempo progredindo com a carga e não mantém certo padrão no tempo de descanso entre séries, caso sua performance comece a ser afetada, como você saberá qual variável é a causa provável? Como saberá qual deve ser o melhor ajuste? Como você saberá que está havendo sobrecarga progressiva, se até o tempo sob tensão nos exercícios está completamente variado? Como podemos ver, o controle fica bem comprometido. Em relação à parte nutricional, a consistência também permite um melhor controle para possíveis ajustes futuros. Se você começa a fugir muito do seu plano alimentar, como saberá se a sua perda de peso (se for seu objetivo) não está ocorrendo por adaptação do seu metabolismo ou pela falta de disciplina de manter o plano? Em grandes e renomadas empresas, sempre há padronização das atividades, justamente para haver total controle visando otimização dos resultados. Vale lembrar que apenas se gerencia aquilo que se pode controlar de forma adequada. Havendo consistência nas atividades do processo, algum desvio do padrão (ou indicador que mostre desvio do resultado pretendido) pode ser imediatamente corrigido para que o processo "volte aos trilhos" e assim haja garantia de que o caminho ao objetivo está correto. Jamais subestime a importância da consistência. Principalmente se você tem o objetivo de melhorar em algo.
Quem nunca teve um parceiro de treino e executou os mesmos exercícios, as mesmas séries, um dando força para o outro que atire a primeira pedra! Mas algumas considerações devem ser feitas sobre isso, principalmente se seu objetivo é otimizar seus ganhos no longo prazo.

É óbvio que marcar um treino esporádico com seu parceiro(a), com o intuito de "celebrar" ou " se divertir" não é problema algum. Inclusive isso pode ser feito em fases específicas do treinamento, de forma planejada.

O problema é quando essa prática deixa de ser esporádica e passa a ser o seu modo de treinar. Acho que vocês já devem saber qual o motivo, pra variar... Sim. Novamente: a questão da individualidade. E é bem simples de se entender: seu parceiro de treino tem experiência de treinamento diferente da sua, capacidade física diferente da sua, prioridades diferentes das suas. Ele pode estar em um estágio avançado de treinamento, onde uma carga de 30kg de cada lado no agachamento livre para 10 repetições seja muito leve para ele, praticamente sem gerar estímulo suficiente para haver hipertrofia, enquanto que talvez, para você, essa carga te coloque muito próximo à falha muscular. Assim, cada pessoa tem suas %RM pessoais. As 10RM de seu parceiro podem ser com 60kg de cada lado, enquanto que as suas 10RM podem ser com 30kg de cada lado.

Além disso, seu parceiro pode ter a parte superior do corpo bem desenvolvida, necessitando focar mais na parte inferior (como quadríceps, por exemplo), enquanto que talvez você precise desenvolver mais seus deltóides mediais para dar um aspecto mais bacana ao seu shape.

Também, seu parceiro pode ter capacidade de suportar um volume bem elevado para costas por exemplo, mas talvez você tenha dificuldade para suportar a metade do que ele costuma suportar.

Juntando tudo isso, nos exemplos acima (que com certeza é o que acontece na prática), se as 2 pessoas resolvem treinar juntas seguindo exatamente o mesmo treinamento, com certeza uma estará treinando muito abaixo do necessário para otimizar seus resultados.

Se for treinar junto de um parceiro, pelo menos ajuste as cargas e volume de acordo com as suas necessidades, e lembre-se sempre da especificidade!
Quem nunca teve um parceiro de treino e executou os mesmos exercícios, as mesmas séries, um dando força para o outro que atire a primeira pedra! Mas algumas considerações devem ser feitas sobre isso, principalmente se seu objetivo é otimizar seus ganhos no longo prazo. É óbvio que marcar um treino esporádico com seu parceiro(a), com o intuito de "celebrar" ou " se divertir" não é problema algum. Inclusive isso pode ser feito em fases específicas do treinamento, de forma planejada. O problema é quando essa prática deixa de ser esporádica e passa a ser o seu modo de treinar. Acho que vocês já devem saber qual o motivo, pra variar... Sim. Novamente: a questão da individualidade. E é bem simples de se entender: seu parceiro de treino tem experiência de treinamento diferente da sua, capacidade física diferente da sua, prioridades diferentes das suas. Ele pode estar em um estágio avançado de treinamento, onde uma carga de 30kg de cada lado no agachamento livre para 10 repetições seja muito leve para ele, praticamente sem gerar estímulo suficiente para haver hipertrofia, enquanto que talvez, para você, essa carga te coloque muito próximo à falha muscular. Assim, cada pessoa tem suas %RM pessoais. As 10RM de seu parceiro podem ser com 60kg de cada lado, enquanto que as suas 10RM podem ser com 30kg de cada lado. Além disso, seu parceiro pode ter a parte superior do corpo bem desenvolvida, necessitando focar mais na parte inferior (como quadríceps, por exemplo), enquanto que talvez você precise desenvolver mais seus deltóides mediais para dar um aspecto mais bacana ao seu shape. Também, seu parceiro pode ter capacidade de suportar um volume bem elevado para costas por exemplo, mas talvez você tenha dificuldade para suportar a metade do que ele costuma suportar. Juntando tudo isso, nos exemplos acima (que com certeza é o que acontece na prática), se as 2 pessoas resolvem treinar juntas seguindo exatamente o mesmo treinamento, com certeza uma estará treinando muito abaixo do necessário para otimizar seus resultados. Se for treinar junto de um parceiro, pelo menos ajuste as cargas e volume de acordo com as suas necessidades, e lembre-se sempre da especificidade!
Parece haver lógica: se o(a) atleta (que é referência, grande, seco(a)) realiza esse treino, é porque esse treino realmente deve ser muito bom. Então se eu copiar, com certeza irei obter bons ganhos musculares.

Porém, não é bem assim que funciona. Na verdade, com certeza funciona, caso contrário o atleta não o realizaria. Mas funciona para aquele atleta, naquele determinado momento. Pode não funcionar mais para o mesmo atleta daqui a algum tempo. 
É aquela velha história que todo mundo está cansado de ouvir (mas que quase sempre acaba sendo ignorada): cada pessoa tem a sua individualidade e as suas próprias necessidades. Todo treino que ela for realizar deve ser ajustado às suas próprias necessidades, de acordo com a situação em que ela se encontra no momento, e preferencialmente de forma periodizada (bem planejada). Assim, esse treino deve estar diretamente relacionado ao objetivo dessa pessoa, ou seja, a especificidade deve ser respeitada (Se ainda não leu o post que fiz sobre especificidade, dê uma procurada nos meus posts anteriores)

Novamente, o treino que o atleta realiza é ajustado para as necessidades dele, naquele determinado período. Mas isso é algo muito pontual, pois pode refletir um foco específico em uma determinada fase de treinamento que ele esteja realizando. É preciso mudar de uma visão pontual para uma visão sistêmica. É preciso enxergar o todo, não somente as partes.

Isso não quer dizer que você não possa aproveitar alguma dica, uma combinação de exercícios, ou uma forma diferente de executar determinado exercício, por exemplo. Você pode e deve testar para ver se funciona para você. Mas não deve copiar exatamente o mesmo treino por completo daquele atleta. O que se deve fazer é procurar entender a estrutura do treino do atleta. O porquê dele ter usado determinada sequência de exercícios, ou ter feito certo volume de treinamento, ou por que ele usou determinado tempo de descanso entre as séries.

Quando você começa a entender os fundamentos básicos, e como tudo se relaciona, compreende que não existe treino mágico, dieta mágica. Não existe melhor treino nem melhor dieta. Existe conhecimento correto que quando aplicado, gera resultados!
Parece haver lógica: se o(a) atleta (que é referência, grande, seco(a)) realiza esse treino, é porque esse treino realmente deve ser muito bom. Então se eu copiar, com certeza irei obter bons ganhos musculares. Porém, não é bem assim que funciona. Na verdade, com certeza funciona, caso contrário o atleta não o realizaria. Mas funciona para aquele atleta, naquele determinado momento. Pode não funcionar mais para o mesmo atleta daqui a algum tempo. É aquela velha história que todo mundo está cansado de ouvir (mas que quase sempre acaba sendo ignorada): cada pessoa tem a sua individualidade e as suas próprias necessidades. Todo treino que ela for realizar deve ser ajustado às suas próprias necessidades, de acordo com a situação em que ela se encontra no momento, e preferencialmente de forma periodizada (bem planejada). Assim, esse treino deve estar diretamente relacionado ao objetivo dessa pessoa, ou seja, a especificidade deve ser respeitada (Se ainda não leu o post que fiz sobre especificidade, dê uma procurada nos meus posts anteriores) Novamente, o treino que o atleta realiza é ajustado para as necessidades dele, naquele determinado período. Mas isso é algo muito pontual, pois pode refletir um foco específico em uma determinada fase de treinamento que ele esteja realizando. É preciso mudar de uma visão pontual para uma visão sistêmica. É preciso enxergar o todo, não somente as partes. Isso não quer dizer que você não possa aproveitar alguma dica, uma combinação de exercícios, ou uma forma diferente de executar determinado exercício, por exemplo. Você pode e deve testar para ver se funciona para você. Mas não deve copiar exatamente o mesmo treino por completo daquele atleta. O que se deve fazer é procurar entender a estrutura do treino do atleta. O porquê dele ter usado determinada sequência de exercícios, ou ter feito certo volume de treinamento, ou por que ele usou determinado tempo de descanso entre as séries. Quando você começa a entender os fundamentos básicos, e como tudo se relaciona, compreende que não existe treino mágico, dieta mágica. Não existe melhor treino nem melhor dieta. Existe conhecimento correto que quando aplicado, gera resultados!
Pode ser o melhor nutricionista ou o melhor treinador do mundo. Apenas em sua área profissional, nenhum deles conseguirá otimizar a composição corporal de uma pessoa.

Isso mesmo. Não adianta você achar que vai naquele nutricionista dos sonhos e ter todos os seus problemas resolvidos. Ele pode ter todo conhecimento possível na área nutricional, pode prescrever um ótimo plano alimentar, mas se não forem levados em consideração diversos outros fatores, a prescrição será pouco ou praticamente ineficaz. 
Por isso a multidisciplinaridade é fundamental para quem deseja melhoria da composição corporal. Uma área deve trabalhar em conjunto com a outra, funcionando sinergicamente, como ocorre em uma indústria de produção. Faz sentido, não é mesmo?

Sim, faz e muito! Afinal, a melhoria da composição corporal é um PROCESSO, e como todo processo, existem insumos, transformação e saída de produtos (resultados). Mas para isso, é necessário o trabalho conjunto de diversas áreas, cada uma na sua especialidade, falando a mesma língua.

E o mais importante de tudo: além da multidisciplinaridade, é imprescindível um GESTOR, com pelo menos um pouco de conhecimento em cada área (não necessariamente aprofundado em todas elas), e que principalmente tenha experiência prática no ramo. É preciso ter todas as boas características de um líder e saber usar as informaçãos de cada área, por meio de indicadores críticos, para que tome a melhor decisão visando sempre o objetivo final (resultado). Assim, um nutricionista sozinho não saberá como ajustar a alimentação, se não houver informação sobre as atividades físicas da pessoa. E da mesma forma, se a nutrição não estiver adequada às necessidades da pessoa, o treinador não conseguirá tirar o máximo de proveito do treino (melhoria da performance). Dessa forma, temos indicadores nutricionais, indicadores de performance, indicadores médicos (também fundamentais), além de diversos indicadores subjetivos, que devem ser analisados, controlados e ajustados em conjunto por esse gestor, que costuma ser denominado "coach". Essa é a visão de um engenheiro de Produção sobre o processo de melhoria de composição corporal. 👊💪
Pode ser o melhor nutricionista ou o melhor treinador do mundo. Apenas em sua área profissional, nenhum deles conseguirá otimizar a composição corporal de uma pessoa. Isso mesmo. Não adianta você achar que vai naquele nutricionista dos sonhos e ter todos os seus problemas resolvidos. Ele pode ter todo conhecimento possível na área nutricional, pode prescrever um ótimo plano alimentar, mas se não forem levados em consideração diversos outros fatores, a prescrição será pouco ou praticamente ineficaz. Por isso a multidisciplinaridade é fundamental para quem deseja melhoria da composição corporal. Uma área deve trabalhar em conjunto com a outra, funcionando sinergicamente, como ocorre em uma indústria de produção. Faz sentido, não é mesmo? Sim, faz e muito! Afinal, a melhoria da composição corporal é um PROCESSO, e como todo processo, existem insumos, transformação e saída de produtos (resultados). Mas para isso, é necessário o trabalho conjunto de diversas áreas, cada uma na sua especialidade, falando a mesma língua. E o mais importante de tudo: além da multidisciplinaridade, é imprescindível um GESTOR, com pelo menos um pouco de conhecimento em cada área (não necessariamente aprofundado em todas elas), e que principalmente tenha experiência prática no ramo. É preciso ter todas as boas características de um líder e saber usar as informaçãos de cada área, por meio de indicadores críticos, para que tome a melhor decisão visando sempre o objetivo final (resultado). Assim, um nutricionista sozinho não saberá como ajustar a alimentação, se não houver informação sobre as atividades físicas da pessoa. E da mesma forma, se a nutrição não estiver adequada às necessidades da pessoa, o treinador não conseguirá tirar o máximo de proveito do treino (melhoria da performance). Dessa forma, temos indicadores nutricionais, indicadores de performance, indicadores médicos (também fundamentais), além de diversos indicadores subjetivos, que devem ser analisados, controlados e ajustados em conjunto por esse gestor, que costuma ser denominado "coach". Essa é a visão de um engenheiro de Produção sobre o processo de melhoria de composição corporal. 👊💪
Eu particularmente não costumo ver artigos ou posts falando sobre essa importante ferramenta para a gestão da fadiga: deload.

Mas o que seria isso? Deload é um período (comumente de 1 semana) em que se reduz de forma considerável o volume de treinamento e até a intensidade, visando dissipar a fadiga acumulada ao longo de um mesociclo de treino. Por isso, geralmente é utilizado no final do mesociclo, quando se está próximo ou se atinge o overreaching (que nesse caso, sendo planejado, é funcional). O deload é algo que deve ser planejado no programa de treinamento periodizado, mas ajustado conforme a necessidade do momento. Ou seja, ele pode ser necessário antes ou após o planejado, dependendo justamente do acúmulo de fadiga (sistêmica) que estará ocorrendo. Pode ser usados de forma corretiva ou preventiva.

Vale lembrar que o corpo não sabe distinguir tipos de estresses, então todo tipo de estresse (físico, mental, emocional) vai se acumulando, até que se chega em um limite, que se não for gerenciado, pode trazer inúmeras consequências negativas, não só na performance, como para a saúde como um todo. Continuando nesse estado por bastante tempo, pode-se chegar ao tão temido overtraining.

Se você não utiliza ou não precisa de períodos mais "leves" de treinamento, ou você não está treinando pesado o suficiente (de forma consciente, planejada), ou você provavelmente deve estar estagnado e não consegue mais evoluir nos treinos.

Fique atento a sinais como problemas no sono, queda na performance, desânimo e falta de motivação para treinar. O corpo pode estar indicando que é hora de "pegar leve". Atletas naturais, principalmente, devem ficar atentos a esses sinais e utilizar deloads com consciência, pois não têm a "vantagem" da maior recuperação com o uso de esteróides.

Deload também é imprescindível em fases de perda de gordura, pois ajudam a mitigar os efeitos da fadiga que se acumula mais rapidamente nessa fase, além de ajudar na reposição dos estoques de glicogênio que são depletados nessa fase.

Resumo: deloads são fundamentais para a recuperação, permitindo um melhor gerenciamento da fadiga. Devem ser planejados e utilizados de forma consciente!
Eu particularmente não costumo ver artigos ou posts falando sobre essa importante ferramenta para a gestão da fadiga: deload. Mas o que seria isso? Deload é um período (comumente de 1 semana) em que se reduz de forma considerável o volume de treinamento e até a intensidade, visando dissipar a fadiga acumulada ao longo de um mesociclo de treino. Por isso, geralmente é utilizado no final do mesociclo, quando se está próximo ou se atinge o overreaching (que nesse caso, sendo planejado, é funcional). O deload é algo que deve ser planejado no programa de treinamento periodizado, mas ajustado conforme a necessidade do momento. Ou seja, ele pode ser necessário antes ou após o planejado, dependendo justamente do acúmulo de fadiga (sistêmica) que estará ocorrendo. Pode ser usados de forma corretiva ou preventiva. Vale lembrar que o corpo não sabe distinguir tipos de estresses, então todo tipo de estresse (físico, mental, emocional) vai se acumulando, até que se chega em um limite, que se não for gerenciado, pode trazer inúmeras consequências negativas, não só na performance, como para a saúde como um todo. Continuando nesse estado por bastante tempo, pode-se chegar ao tão temido overtraining. Se você não utiliza ou não precisa de períodos mais "leves" de treinamento, ou você não está treinando pesado o suficiente (de forma consciente, planejada), ou você provavelmente deve estar estagnado e não consegue mais evoluir nos treinos. Fique atento a sinais como problemas no sono, queda na performance, desânimo e falta de motivação para treinar. O corpo pode estar indicando que é hora de "pegar leve". Atletas naturais, principalmente, devem ficar atentos a esses sinais e utilizar deloads com consciência, pois não têm a "vantagem" da maior recuperação com o uso de esteróides. Deload também é imprescindível em fases de perda de gordura, pois ajudam a mitigar os efeitos da fadiga que se acumula mais rapidamente nessa fase, além de ajudar na reposição dos estoques de glicogênio que são depletados nessa fase. Resumo: deloads são fundamentais para a recuperação, permitindo um melhor gerenciamento da fadiga. Devem ser planejados e utilizados de forma consciente!
Juntamente com a técnica/forma na execução dos exercícios, o foco que se direciona a determinado objetivo (conhecido como especificidade) é outro pilar fundamental para quem deseja evoluir (ter ganhos) em determinada característica específica, seja hipertrofia, força, resistência ou potência muscular.

A especificidade chega a ser mais importante do que o principal fator para ganhos musculares a longo prazo (sobrecarga progressiva). Sim, por incrível que pareça. E o motivo é simples de ser entendido:

Digamos que seu objetivo seja obter ganhos hipertróficos em determinado grupamento muscular, digamos costas e ombros, ou seja, priorizar esses grupamentos por preferência ou necessidade. Você deve usar a especificidade para isso, ou seja, deve buscar treinar na faixa de 8-15 repetições na maior parte do tempo, talvez iniciar as sessões de treinamento por esses grupamentos, e até utilizar maior frequência e/ou volume muscular (talvez até em detrimento de outros grupamentos que não serão priorizados). Assim, você garante que estará usando todos seus recursos direcionados para seu objetivo.

No exemplo anterior, se você passar a maior parte do tempo treinando na faixa de 1-4 repetições para esses grupamentos, ou treinando os grupos que deseja priorizar somente no final da sessão de treinamento (quando a fadiga aguda estiver elevada), ou realizando sessões intermináveis de aeróbios de intensidade moderada, ainda que utilize técnicas perfeitas e garanta que esteja ocorrendo sobrecarga progressiva, você não estará caminhando em direção ao seu objetivo (estará ignorando a especificidade). Por mais simples que possa parecer, muita gente comete esses erros bobos e acabam comprometendo os ganhos que planejaram, sem saber ao certo o motivo.

Use a especificidade a seu favor para direcionar os ganhos que você deseja.
Juntamente com a técnica/forma na execução dos exercícios, o foco que se direciona a determinado objetivo (conhecido como especificidade) é outro pilar fundamental para quem deseja evoluir (ter ganhos) em determinada característica específica, seja hipertrofia, força, resistência ou potência muscular. A especificidade chega a ser mais importante do que o principal fator para ganhos musculares a longo prazo (sobrecarga progressiva). Sim, por incrível que pareça. E o motivo é simples de ser entendido: Digamos que seu objetivo seja obter ganhos hipertróficos em determinado grupamento muscular, digamos costas e ombros, ou seja, priorizar esses grupamentos por preferência ou necessidade. Você deve usar a especificidade para isso, ou seja, deve buscar treinar na faixa de 8-15 repetições na maior parte do tempo, talvez iniciar as sessões de treinamento por esses grupamentos, e até utilizar maior frequência e/ou volume muscular (talvez até em detrimento de outros grupamentos que não serão priorizados). Assim, você garante que estará usando todos seus recursos direcionados para seu objetivo. No exemplo anterior, se você passar a maior parte do tempo treinando na faixa de 1-4 repetições para esses grupamentos, ou treinando os grupos que deseja priorizar somente no final da sessão de treinamento (quando a fadiga aguda estiver elevada), ou realizando sessões intermináveis de aeróbios de intensidade moderada, ainda que utilize técnicas perfeitas e garanta que esteja ocorrendo sobrecarga progressiva, você não estará caminhando em direção ao seu objetivo (estará ignorando a especificidade). Por mais simples que possa parecer, muita gente comete esses erros bobos e acabam comprometendo os ganhos que planejaram, sem saber ao certo o motivo. Use a especificidade a seu favor para direcionar os ganhos que você deseja.
Primeiramente, a pessoa que afirmar que existe a melhor dieta, superior a todas as outras ou que serve para todo mundo, ela está falando besteira. Ou ela está mentindo ou não sabe o que está dizendo. Fuja dela! 
A melhor dieta que existe é aquela que a pessoa consegue manter com consistência/aderência no curto e no longo prazo. Ou seja, é a que melhor se adequa às necessidades dela. Fatores como tempo, situação financeira, trabalho, atividades físicas, atividades diárias normais, preferências, dentre outros devem ser levados em consideração para a melhor estratégia.

O ponto chave para qualquer dieta é o controle de calorias, devendo este ser ajustado conforme os fatores mencionados anteriormente e principalmente de acordo com o objetivo da pessoa. Se a pessoa deseja ganhar peso deve ingerir mais calorias do que gasta e se deseja perder peso deve ingerir menos calorias do que gasta. Simples assim. Lei da conservação de energia! 
Na questão de perda/ganho de peso, a quantidade de calorias é o ponto mais importante, mas a qualidade dos alimentos (alimentos preferencialmente da natureza, minimamente industrializados) também é fundamental. A qualidade dos alimentos, juntamente com os exercícios físicos irá direcionar se esse ganho/perda de peso será preferencialmente gordura ou massa muscular. Não cometa o erro de achar que nesse caso a qualidade é mais importante do que a quantidade. Isso é bastante divulgado de forma errônea e acaba enganando e confundido a cabeça de muita gente.

Dieta low carb, ou jejum intermitente, por exemplo, não fazem milagre e nem violam a lei da conservação de energia! Mesmo com essas estratégias, se o objetivo da pessoa for perder peso mas ela ingerir mais calorias do que gasta, ela não irá obter êxito!  A maioria das pessoas que emagrece com esses estilos de dietas é por algum controle (inconsciente) na ingestão calórica. No caso low carb as proteínas e gorduras geram maior saciedade, e no jejum intermitente, as calorias são ingeridas em apenas 1-2 grandes refeições.

No final, qualquer estilo de dieta pode funcionar, desde que a pessoa consiga seguir e controlar adequadamente a ingestão no curto e no longo prazo.

Não se engane mais!
Primeiramente, a pessoa que afirmar que existe a melhor dieta, superior a todas as outras ou que serve para todo mundo, ela está falando besteira. Ou ela está mentindo ou não sabe o que está dizendo. Fuja dela! A melhor dieta que existe é aquela que a pessoa consegue manter com consistência/aderência no curto e no longo prazo. Ou seja, é a que melhor se adequa às necessidades dela. Fatores como tempo, situação financeira, trabalho, atividades físicas, atividades diárias normais, preferências, dentre outros devem ser levados em consideração para a melhor estratégia. O ponto chave para qualquer dieta é o controle de calorias, devendo este ser ajustado conforme os fatores mencionados anteriormente e principalmente de acordo com o objetivo da pessoa. Se a pessoa deseja ganhar peso deve ingerir mais calorias do que gasta e se deseja perder peso deve ingerir menos calorias do que gasta. Simples assim. Lei da conservação de energia! Na questão de perda/ganho de peso, a quantidade de calorias é o ponto mais importante, mas a qualidade dos alimentos (alimentos preferencialmente da natureza, minimamente industrializados) também é fundamental. A qualidade dos alimentos, juntamente com os exercícios físicos irá direcionar se esse ganho/perda de peso será preferencialmente gordura ou massa muscular. Não cometa o erro de achar que nesse caso a qualidade é mais importante do que a quantidade. Isso é bastante divulgado de forma errônea e acaba enganando e confundido a cabeça de muita gente. Dieta low carb, ou jejum intermitente, por exemplo, não fazem milagre e nem violam a lei da conservação de energia! Mesmo com essas estratégias, se o objetivo da pessoa for perder peso mas ela ingerir mais calorias do que gasta, ela não irá obter êxito! A maioria das pessoas que emagrece com esses estilos de dietas é por algum controle (inconsciente) na ingestão calórica. No caso low carb as proteínas e gorduras geram maior saciedade, e no jejum intermitente, as calorias são ingeridas em apenas 1-2 grandes refeições. No final, qualquer estilo de dieta pode funcionar, desde que a pessoa consiga seguir e controlar adequadamente a ingestão no curto e no longo prazo. Não se engane mais!
You have to smile in any situation 😂#workout #training #naturalbodybuilding
Finalizando a fase metabólica de treino. Feeling the pump!! Periodização é fundamental para quem treina há bastante tempo, principalmente para atletas naturais que precisam otimizar todas as variáveis possíveis!
No caso de iniciantes, periodizar o treino não é o primordial, pois todo e qualquer estímulo gera ganhos. No caso, devem focar principalmente nos exercícios básicos, preocupando com a postura e técnica corretas e evoluindo aos poucos com as cargas. Conforme vai aumentando a experiência e o tempo de treinamento, periodizar se torna cada vez mais importante!

Periodizar de forma correta permite gerar estímulos musculares diferentes, evitar platôs e gerenciar a fadiga que vai se acumulando ao longo do tempo. 
Porém vale lembrar que o fator mais importante em relação ao treinamento é manter a sobrecarga progressiva! 
Segue o plano.
Finalizando a fase metabólica de treino. Feeling the pump!! Periodização é fundamental para quem treina há bastante tempo, principalmente para atletas naturais que precisam otimizar todas as variáveis possíveis! No caso de iniciantes, periodizar o treino não é o primordial, pois todo e qualquer estímulo gera ganhos. No caso, devem focar principalmente nos exercícios básicos, preocupando com a postura e técnica corretas e evoluindo aos poucos com as cargas. Conforme vai aumentando a experiência e o tempo de treinamento, periodizar se torna cada vez mais importante! Periodizar de forma correta permite gerar estímulos musculares diferentes, evitar platôs e gerenciar a fadiga que vai se acumulando ao longo do tempo. Porém vale lembrar que o fator mais importante em relação ao treinamento é manter a sobrecarga progressiva! Segue o plano.
Repondo a dose diária de vitamina D com a melhor fonte que existe: sol.

Por que tomo 20-30min de sol todos os dias, entre 10:00 e 14:00h (sem protetor solar nesse período)? Primeiramente porque é a melhor fonte de vitamina D que existe. É de graça e totalmente natural. Não existe risco de super dosagem com essa fonte.
É praticamente impossível obter a vitamina D por fontes alimentares com o objetivo de manter níveis ótimos (acima de 50ng/dl). Para quem não consegue tomar sol diariamente, é necessário suplementar (com indicação médica) e controlar os níveis pelo exame de sangue. 
A vitamina D considerada hormônio (em vez de vitamina), pois existem receptores em todas as células do corpo. (Se não fosse importante, por que Deus colocaria receptores em cada célula do nosso corpo? 🤔)
É usada para prevenir e tratar: doenças cardíacas, vários tipos de câncer, AVC, doenças infecciosas e regiões a tuberculose, diabetes tipo 1 e 2, demência, depressão, insônia, fraqueza muscular, dor nas articulações, fibromialgia, osteoporose, artrite reumatóide, psoríase, esclerose múltipla, doença de Crohn, Alzheimer, hipertensão. Níveis adequados de vitamina D podem aumentar a fertilidade, proteger a gravidez, reduzir inflamações, potencializar a imunidade e memória, manter a força muscular, previne e ameniza problemas com a TPM, ajuda a controlar o ritmo circadiano. 
Ajuda na recuperação muscular, na prevenção de fraturas e lesões. Ajuda a aumentar testosterona, a cognição e o bem estar. Ajuda a equilibrar diversos hormônios e neurotransmissores. Tem estudos que mostram problemas de tireoide relacionados com deficiência de vitamina D.

Enfim... Precisa de mais algum motivo para começar a tomar seu solzinho diário e se preocupar em manter níveis ótimos de vitamina D (idealmente entre 50-100ng/dl)? #naturalbodybuilding #naturalphysique #naturalbodybuilder #nopainnogain #bodybuilding #vitd #hardcore #estilodevida #lifestyle #healthy #fitness #nutrição #nutrition #musculação #aesthetics #fitnessmotivation #vemmonstro #mensphysique #segueoplano #trainhard #workout #animal #foco #foconadieta #foconotreino #foconoobjetivo #determinação #disciplina #top #instagood
Repondo a dose diária de vitamina D com a melhor fonte que existe: sol. Por que tomo 20-30min de sol todos os dias, entre 10:00 e 14:00h (sem protetor solar nesse período)? Primeiramente porque é a melhor fonte de vitamina D que existe. É de graça e totalmente natural. Não existe risco de super dosagem com essa fonte. É praticamente impossível obter a vitamina D por fontes alimentares com o objetivo de manter níveis ótimos (acima de 50ng/dl). Para quem não consegue tomar sol diariamente, é necessário suplementar (com indicação médica) e controlar os níveis pelo exame de sangue. A vitamina D considerada hormônio (em vez de vitamina), pois existem receptores em todas as células do corpo. (Se não fosse importante, por que Deus colocaria receptores em cada célula do nosso corpo? 🤔) É usada para prevenir e tratar: doenças cardíacas, vários tipos de câncer, AVC, doenças infecciosas e regiões a tuberculose, diabetes tipo 1 e 2, demência, depressão, insônia, fraqueza muscular, dor nas articulações, fibromialgia, osteoporose, artrite reumatóide, psoríase, esclerose múltipla, doença de Crohn, Alzheimer, hipertensão. Níveis adequados de vitamina D podem aumentar a fertilidade, proteger a gravidez, reduzir inflamações, potencializar a imunidade e memória, manter a força muscular, previne e ameniza problemas com a TPM, ajuda a controlar o ritmo circadiano. Ajuda na recuperação muscular, na prevenção de fraturas e lesões. Ajuda a aumentar testosterona, a cognição e o bem estar. Ajuda a equilibrar diversos hormônios e neurotransmissores. Tem estudos que mostram problemas de tireoide relacionados com deficiência de vitamina D. Enfim... Precisa de mais algum motivo para começar a tomar seu solzinho diário e se preocupar em manter níveis ótimos de vitamina D (idealmente entre 50-100ng/dl)? #naturalbodybuilding  #naturalphysique  #naturalbodybuilder  #nopainnogain  #bodybuilding  #vitd  #hardcore  #estilodevida  #lifestyle  #healthy  #fitness  #nutrição  #nutrition  #musculação  #aesthetics  #fitnessmotivation  #vemmonstro  #mensphysique  #segueoplano  #trainhard  #workout  #animal  #foco  #foconadieta  #foconotreino  #foconoobjetivo  #determinação  #disciplina  #top  #instagood 
Antes x depois - colhendo os frutos desse estilo de vida

Sempre fiquei impressionado com as fotos de “antes x depois” que as pessoas publicam. Ficava imaginando o orgulho dessas pessoas (no bom sentido), ao compartilhar uma das maiores provas de sucesso/disciplina/determinação que se pode ter na vida. Um dos meus maiores objetivos desde quando iniciei esse estilo de vida mais saudável era fazer uma foto própria nessa mesma ideia. Essa é apenas a primeira comparação de muitas outras que ainda farei. Primeira de muitas porque é o primeiro resultado mais expressivo que tive depois de muitos anos de tentativas e erros, após ir refinando meu conhecimento teórico e prático no assunto. E por incrível que pareça, continuo aprendendo mais a cada dia que passa (sem clichê algum, garanto). Justamente por ser a primeira, ainda há muito para ser melhorado, principalmente na questão de volume muscular. Porém, deixo claro duas coisas importantes: a primeira é que não tenho objetivo de competir ou viver do esporte, portanto não adianta querer me comparar com alguém que viva disso. Estará perdendo o seu tempo. Sou atleta recreativo, faço por hobby, porque gosto de ter esse estilo de vida. A outra é que optei por seguir o caminho natural (sem uso de esteroides anabolizantes ou fármacos que aceleram e/ou facilitam o processo) e por isso a evolução é mais lenta e gradual, principalmente quando se prioriza a saúde e bem estar junto da melhoria da composição corporal. Entretanto, ser lenta e gradual não significa que não seja possível evoluir naturalmente. Calma... Uma coisa de cada vez! Melhoria contínua, sempre! (Continua nos comentários)
Antes x depois - colhendo os frutos desse estilo de vida Sempre fiquei impressionado com as fotos de “antes x depois” que as pessoas publicam. Ficava imaginando o orgulho dessas pessoas (no bom sentido), ao compartilhar uma das maiores provas de sucesso/disciplina/determinação que se pode ter na vida. Um dos meus maiores objetivos desde quando iniciei esse estilo de vida mais saudável era fazer uma foto própria nessa mesma ideia. Essa é apenas a primeira comparação de muitas outras que ainda farei. Primeira de muitas porque é o primeiro resultado mais expressivo que tive depois de muitos anos de tentativas e erros, após ir refinando meu conhecimento teórico e prático no assunto. E por incrível que pareça, continuo aprendendo mais a cada dia que passa (sem clichê algum, garanto). Justamente por ser a primeira, ainda há muito para ser melhorado, principalmente na questão de volume muscular. Porém, deixo claro duas coisas importantes: a primeira é que não tenho objetivo de competir ou viver do esporte, portanto não adianta querer me comparar com alguém que viva disso. Estará perdendo o seu tempo. Sou atleta recreativo, faço por hobby, porque gosto de ter esse estilo de vida. A outra é que optei por seguir o caminho natural (sem uso de esteroides anabolizantes ou fármacos que aceleram e/ou facilitam o processo) e por isso a evolução é mais lenta e gradual, principalmente quando se prioriza a saúde e bem estar junto da melhoria da composição corporal. Entretanto, ser lenta e gradual não significa que não seja possível evoluir naturalmente. Calma... Uma coisa de cada vez! Melhoria contínua, sempre! (Continua nos comentários)